Acordos que vão beneficiar acreanos são assinados em Lima

Dande Tavares e Maurício Moura Costa firmam parceria inédita na atribuição de valor aos créditos de carbono (Foto: Celis Fabrícia)
Dande Tavares e Maurício Moura Costa firmam parceria inédita na atribuição de valor aos créditos de carbono (Foto: Celis Fabrícia)

Durante a COP 20, Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, em Lima, o Acre teve participação ativa. Além de oportunidade de expor os avanços do Sistema de Incentivos a Serviços Ambientais (Sisa), importantes acordos foram firmados na capital peruana.

Na tarde do último dia 9, foi assinado o termo de cooperação entre o Instituto de Mudanças Climáticas do Acre (IMC) e o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam). “O Acre mostra que está capacitado e integrado para atingir as metas e reverter os efeitos nocivos das mudanças climáticas”, explicou Magaly Medeiros, diretora-presidente do IMC.

A parceria vai proporcionar o desenvolvimento da “Calculadora de Carbono”, metodologia inovadora que possibilitará maior transparência e visibilidade ao Sisa no desenvolvimento de estratégia das reduções de emissões decorrentes do desmatamento e degradação florestal. “A maneira de calcular é simples: contemplar aqueles que conservam floresta em grandes áreas e também os que reduzem o desmatamento”, resumiu Paulo Moutinho, diretor Executivo do Ipam.

cop20 -
Secretário de Meio Ambiente do Acre apresenta publicação durante COP20 (Foto: Celis Fabrícia)

Ainda na programação, foi destaque a publicação elaborada pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA e a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) que contempla uma avaliação da Política de Desenvolvimento Sustentável do Acre, nesses últimos 15 anos, numa perspectiva de olhar os próximos desafios do Governo. “Mostramos que o Acre consegue valorar economicamente a redução de emissões de gases do efeito estufa por meio de uma cooperação pioneira com o banco KFW ”, ressaltou Edegard de Deus, secretário de Estado de Ambiente.

Parceria inédita

Encerrando a programação, foi assinado o termo de cooperação entre a Companhia de Desenvolvimento de Serviços Ambientais do Acre (CDSA), a Fundação Getúlio Vargas, Bolsa de Valores Ambientais do Rio de Janeiro (BVRio). “Nossa missão é ser uma das promotoras do desenvolvimento sustentável do Acre”, explicou Dande Tavares, diretor da CDSA.

Com a parceria será disponibilizada uma plataforma de leilão e negociação das reduções de emissões de carbono resultantes do Programa Jurisdicional de REDD+ (ISA-Carbono), desenvolvido pelo Acre. O programa, que torna mais ágil a consolidação de políticas de desenvolvimento sustentável, tem a promoção e comercialização das reduções de emissões coordenada pela Companhia de Desenvolvimento de Serviços Ambientais do Acre – CDSA. “É uma maneira de participar dessa estrutura tão sofisticada e audaciosa que está sendo realizada no Acre. Nosso propósito é facilitar a venda desses créditos e com isso monetizar o esforço que vem sendo feito pela CDSA”, definiu Mauricio Moura Costa, diretor da BVRio.