Abrigo do Sesc Bosque oferece atividades recreativas para crianças

As crianças do abrigo ouviram histórias regionais e lendas da população ribeirinha (Foto: Annie Manuela)
As crianças do abrigo ouviram histórias regionais e lendas dos ribeirinhos (Foto: Annie Manuela)

A contação de histórias com música, realizada por Dani Mirini, do Grupo Vivarte, chamou a atenção das crianças, que pararam as brincadeiras no abrigo do Sesc Bosque para ouvi-la. Eram histórias regionais de situações e lendas da população ribeirinha, acompanhadas pelo som de uma sanfona e interpretação.

Dani e os colegas de grupo se revezam no trabalho voluntário que decidiram fazer nos abrigos de Rio Branco. “Acredito que a arte é um meio de transformação, e trabalhar como voluntária nos abrigos é uma maneira de ajudar a nós mesmos”, ressaltou a artista, que também tem familiares vítimas da alagação.

“Todos os artistas, de um modo ou de outro, têm se disponibilizado de uma forma fantástica no voluntariado, independentemente do contato da Humanização, e em todos os convites que fazemos têm dito sim. As parcerias são muito importantes neste momento tão difícil”, relata Cila Moreira, coordenadora do Departamento de Sensibilização da Secretaria Adjunta de Humanização/SGA.

“Aqui é bem divertido, gosto de pular corda, de ouvir histórias e já tenho um monte de amigas”, contou Rauanny Soares, 12 anos, moradora do bairro Cidade Nova. Entretanto faz uma ressalva, demonstrando seu verdadeiro desejo: “Quero voltar pra casa”.