A acreanidade do charque mineiro

Empresa acreana prepara o lançamento de novos produtos

dsc06788.jpg

Apesar do nome, a empresa garante a “acreanidade” do produto (Foto: Wescley Camelo)

Apesar de o nome ser mineiro, Cláudio Almeida, proprietário da empresa Charque Mineiro, garante a “acreanidade” do produto. A carne é fornecida por frigoríficos acreanos e o preparo do charque acontece na cidade Rio Branco, onde está localizada a fábrica, mais precisamente na Estrada do Mutum, 345, bairro Alto Alegre.

O empreendimento surgiu há 18 anos, inicialmente como “Queijo Mineiro”. Cláudio, mineiro de natureza e acreano de coração, manteve a empresa de queijo por 13 anos no Acre. Segundo ele, em 2005, as inúmeras queimadas ocorridas no Estado prejudicaram a criação de gado nas fazendas e, consequentemente, a produção de leite.

Sem matéria-prima para fazer os queijos, Almeida teve de interromper a produção e a fábrica parou de funcionar. Em seguida, o empreendedor teve a ideia de produzir charque e arriscou sem medo no novo investimento. Há cinco anos o Charque Mineiro está disponível nas prateleiras de todos os supermercados do Acre. Seis colaboradores e um engenheiro de alimentos compõem a equipe de produção da empresa.

Em breve a empresa vai apresentar quatro novos produtos aos consumidores. “Logo mais vamos trazer uma surpresa para o consumidor acreano”, comenta Cláudio. “Grandes novidades em produtos estarão disponíveis, em breve, nos supermercados acreanos.”

A empresa é afiliada à Federação de Indústria do Estado do Acre (Fieac) há 16 anos. O Charque Mineiro trabalha com seriedade e oferece à população qualidade de alimentos comprovada pelo selo “alimento seguro”.