onde ir

Unidades de saúde do Estado seguem atendendo casos de síndromes gripais

Ao apresentar sintomas leves, a população deve procurar a unidade básica de saúde. Já os casos graves devem ser encaminhados às unidades de média e alta complexidade .

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), emitiu uma nota de alerta aos municípios sobre o surto de síndromes gripais.

Acre não tem casos da variante de influenza. Foto: Cedida

Para auxiliar os municípios diante do cenário epidemiológico das doenças respiratórias, o Estado segue com suas unidades de saúde abertas ao atendimento da população que apresente sintomas.

Por exemplo, em Rio Branco, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) segue como referência para a Covid-19, mas também atende quaisquer caso de síndrome gripal, tendo em vista os sintomas semelhantes com a doença que ocasionou uma pandemia.

Em razão do ataque hacker aos sistemas do Ministério da Saúde, a plataforma de notificação de casos de síndromes gripais ficou com instabilidade, o que fez com que muitos estados brasileiros tivessem dificuldade ao acesso e à inserção de dados.

No Acre, o governo segue orientando que as notificações sejam realizadas de maneira manual, para que a Sesacre tenha ciência sobre o cenário epidemiológico e possa intervir com ações de vigilância.

De acordo com a nota, a influenza é uma doença sazonal, de ocorrência anual, cujas epidemias ocorrem quase que exclusivamente nos meses de inverno. O evento em questão deve desencadear a adoção oportuna de medidas que evitem a transmissão desta e de outras doenças respiratórias.

O objetivo é evitar o aumento de casos na população, bem como para fins de melhor organização e atendimento de excelência aos usuários, apresentando orientações de ações assistenciais e de vigilância.

A nota técnica esclarece sobre como os municípios devem se comportar diante do momento crítico da alta demanda de síndromes gripais que chegam às unidades de saúde.

Até o momento o Acre não registra casos da H3N2, mas segue enviando os casos positivos de influenza A ao Instituto Evandro Chagas, em Belém, onde, feita a triagem, confirma ser H3N2 ou H1N1.

Sintomas da influenza

Febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo e dor de cabeça são os sintomas mais comuns. Apresentando os sintomas, o indivíduo deve procurar a unidade de saúde mais próxima.

Lembrando que, as medidas de prevenção contra a influenza são as mesmas tomadas para evitar a Covid-19: uso de máscara, álcool em
gel, distanciamento social e, principalmente, a vacinação.

Confira a nota na íntegra:

NT nº 04 2021 NOTIFICAÇÃO DE SG EM PERIODO DE SURTO