SEPN acompanha o desenvolvimento dos pequenos negócios

Progresso através do esforço pessoal do pedreiro Romildo. (Foto: Angela Peres/Secom)
Progresso através do esforço pessoal do pedreiro Romildo. (Foto: Angela Peres/Secom)

Em todo início de gestão são estabelecidas, por meio de planejamento estratégico, as metas para cada secretaria de estado. O principal objetivo da Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN) é executar o Plano Acre Sem Miséria e fomentar 20 mil empreendimentos. Por isso, os pequenos negócios estão tendo seu desenvolvimento acompanhado e o trabalho continua para atender aos mais necessitados do estado.

“Nessa fase inicial, serão entregues alguns equipamentos, que ficaram pendentes de capacitações concluídas no fim do ano de 2013. E também continua o cronograma de execução das capacitações acordadas via Pronatec até o cumprimento da meta”, esclarece o secretário José Carlos Reis.

As equipes de incubação realizam continuamente o monitoramento de todos os pequenos negócios que receberam os materiais de trabalho, “os técnicos acompanham o desempenhos das empresas e o uso do patrimônio, um apoio importante para o desenvolvimento do empreendimento”, afirma o coordenador do Departamento de Negócios, Marcelo Ribeiro.

O salão “Toque Divino”, localizado no bairro Belo Jardim, é um dos exemplos de sucesso, pois é um pequeno negócio que já passou pelos dois anos de incubação e os equipamentos são definitivamente da empreendedora, como conta Michele Lopes: “Já conquistei minha clientela e tirei até um carro. Muitas coisas boas coisas estão acontecendo a partir do meu trabalho”.

De ajudante de obras a pedreiro – uma evolução importante para o sustento da família de Romildo Sousa. Ele conta que trabalhava como ajudante, fazendo massa: “Com o curso passei a ter a capacidade de fazer orçamento, noções de segurança do trabalho e executar uma obra. Quando não tinha qualificação, tinha época do mês que a gente passava necessidade”. Entre os serviços feitos, destaca que o principal é a sua casa, que foi ampliada de 4×4 para 14x 6 m².

A meliponicultura está no período de entressafra e esse período é o de planejamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), instituição parceira, responsável pela capacitação. As atividades serão retomadas em março.

Outro pequeno negócio que recebe acompanhamento constante, por meio de visitas técnicas são as hortas. São 112 hortas em todo o estado, sendo 31 distribuídas no interior do estado. Muitas destas são comunitárias, como a do Polo Agroflorestal Ilson Ribeiro, onde 15 famílias vivem da renda gerada da comercialização de hortaliças.

O trabalho com horta gera renda e saúde para os envolvidos com esse pequeno negócio. (Foto: Angela Peres/Secom)
O trabalho com horta gera renda e saúde para os envolvidos com esse pequeno negócio. (Foto: Angela Peres/Secom)

Há novidades para a cadeia produtiva do café, pois além das mudas cultivadas no Viveiro da Floresta e apoio da Embrapa e a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), serão construídos viveiros nos municípios “assim atenderemos mais produtores e teremos menos gastos com o deslocamento, expandindo a produção”, explica o coordenador técnico, Rômulo Brando.

Muitas obras estão sendo realizadas por meio de convênio com a Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes) e estão em fase de finalização para a entrega, são: a estrutura da Saboaria Xapuri, a reforma do Mercado Municipal de Porto Acre, a sede do Grupo de Agricultores Agroecológicos de Humaitá (Gaeh), Associação dos Trabalhadores de Resíduos Sólidos do Quinari (Acresoqui) e a Associação Artes e Joias da Floresta de Capixaba.