ação

Segurança intensifica ações de prevenção à Covid-19 com países vizinhos

Em decorrência da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus em todo país e com três casos confirmados no Acre, o Governo do Estado, por meio da Segurança Pública anunciou medidas e ações específicas para as regiões de fronteira com a Bolívia e Peru.

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, as forças de segurança estarão em pontos estratégicos para orientar e conscientizar os condutores e passageiros dos veículos que estiverem entrando no estado, como forma de alertá-los e controlar a propagação do vírus no Acre.

Secretário de Segurança, Paulo Cezar disse que as forças de segurança estarão em pontos estratégicos para orientar e conscientizar os condutores e passageiros dos veículos Foto: Arquivo

“As fiscalizações que serão realizadas de forma integrada com o Grupamento Especial de Fronteira (Gefron), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Acre, vão abranger os municípios que fazem fronteira com a Bolívia e Peru incluindo Plácido de Castro, Epitaciolândia, Senador Guiomard e Assis Brasil, bem como o trevo de Senador Guiomard e o posto da tucandeira que faz divisa com o estado de Rondônia”, explicou o secretário.

De acordo com coordenador operacional da Sejusp/Gefron, coronel Souza Filho, equipes do Gefron já vem realizando um trabalho de fiscalização durante 24 horas nas fronteiras desde o final do ano passado e que neste momento o secretário Paulo Cézar pediu prioridade às ações de combate ao coronavírus.

“O Gefron está preparado para realizar ações diversas, desde esclarecimento à população nos pontos de patrulhamento na fronteira em geral, bem como dar suporto as demais secretarias, mais precisamente a secretaria de saúde, venha precisar de apoio de efetivo”, explicou.

Equipe do Gefron fazendo patrulhamento da fronteira na ponte que liga o município de Plácido de Castro a Vila Evo Morales na Bolívia. Foto: cedida.

Souza Filho ressaltou ainda que integrantes do Gefron receberam palestras de orientações da Secretaria de Saúde, para terem um conhecimento mais aprofundado sobre a dinâmica de propagação da epidemia.

“Não está descartada a possibilidade de uma integração com o Exército Brasileiro e outras forças federais na fronteira, como Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, que venham necessitar do trabalho em conjunto do Gefron”, finalizou Souza Filho.

Casos confirmados

Nesta terça-feira, 17, o governador Gladson Cameli confirmou oficialmente, em coletiva de imprensa, os três primeiros casos de coronavírus no Acre, dois arquitetos, sendo eles um homem de 30 anos e uma mulher 37, e uma advogada de 50 anos.

Todos os casos são considerados ‘importados’, ou seja, não houve contaminação local, já que os dois primeiros contraíram a doença em São Paulo, enquanto que a advogada esteve em Fortaleza (CE). E por se tratar de ser casos leves, estão todos em isolamento domiciliar aos cuidados dos técnicos da Atenção Básica em Saúde do Município de Rio Branco.