Medidas

Secretaria de Segurança, PMAC e PRF alinham ações para debelar manifestações de caminhoneiros no Acre

Medidas para garantir a lei e a ordem no Acre vinham sendo adotadas pelas forças estaduais, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, antes mesmo da ordem judicial do ministro Alexandre Moraes

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), promoveu encontro de alinhamento com a Polícia Militar do Estado do Acre (PMAC), com a Coordenadoria Operacional do Gabinete, órgão da Gestão Integrada de Fronteira da Sejusp e com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), no final da manhã desta terça-feira, 1º de novembro. Na pauta, as ações que estão sendo tomadas para pôr fim aos bloqueios de caminhoneiros nas rodovias federais do Acre.

Secretário de Justiça e Segurança Pública, coronel Paulo Cézar Rocha dos Santos, ao lado do inspetor Getúlio Azevedo, da Superintendência da PRF no Acre, e o comandante da Polícia Militar do Estado do Acre, coronel Luciano Fonseca. Foto: Ila Verus/Asscom Sejusp

A reunião serviu para definir estratégias para que PMAC e PRF atuem de forma integrada, a fim de cumprir ordem judicial expedida pelo ministro-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, referendada pelo Supremo Tribunal Federal, determinando o desbloqueio das rodovias federais por caminhoneiros.

Reunião no gabinete do secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha dos Santos, com as lideranças das forças de segurança; o procurador-geral do MP/AC, Danilo Lovisaro, também foi convidado. Foto: Tiago Teles/Agência MPAC

O procurador-geral do MP/AC, Danilo Lovisaro, foi convidado a participar da agenda no gabinete do secretário de Justiça e Segurança Pública.

“Desde as primeiras informações dos bloqueios, soubemos que providências já estavam sendo tomadas pelos nossos amigos da Polícia Rodoviária Federal. E o que hoje estamos fazendo é alinhando o trabalho da Polícia Militar com as ações da PRF”, ressalta o coronel Paulo Cézar. Mas segundo o secretário de Segurança, “independentemente das forças federais – e da ordem judicial do ministro do TSE -, nós já vínhamos adotando as nossas obrigações constitucionais, enquanto forças policiais do Estado contra as manifestações”.

Policiais rodoviários federais com o secretário Paulo Cézar dos Santos, em reunião para definir estratégias pelo fim das manifestações dos caminhoneiros no Acre. Foto: Ila Verus/Assom Sejusp

Conforme o superintendente da PRF no Acre, Getúlio Azevedo, os movimentos ilegais dos motoristas de caminhões em território acreano já estavam praticamente debelados até o início da tarde desta terça-feira, com apenas dois focos parciais nas BRs-317 e 364. “Nós conseguimos eliminar o do km 121 da BR-364, no perímetro urbano entre o Distrito Industrial e a Cidade do Povo, aqui em Rio Branco, e, com o apoio da Polícia Militar, também atuamos no município de Brasileia, onde havia um bloqueio parcial”, explica o superintendente da PRF.

Segundo Getúlio Azevedo, a ameaça mais grave de um desabastecimento no Acre está no vizinho, estado de Rondônia, onde cinco bloqueios, incluindo os da região de Jaci-Paraná, da Ponte do Abunã e da Vila Nova Califórnia, podem causar prejuízos ao Acre. “Sobre isso, no entanto, tão logo seja eliminado o problema aqui no estado, estaremos reforçando as equipes da PRF de Rondônia com o nosso pessoal”, afirmou.

Participaram também da reunião o comandante-geral da PMAC, coronel Luciano Fonseca; o coordenador operacional de Gestão Integrada de Fronteira, coronel Glaison Dantas; além do diretor de Planejamento da Sejusp, coronel Argemiro Santos.