Secretaria de Meio Ambiente assume política florestal do Acre

As florestas representam quase 90% do território acreano (Foto: Arquivo Secom)
As florestas representam quase 90% do território acreano (Foto: Arquivo Secom)

Proteger, conservar, preservar e manejar. Esses são os pilares que regem a política ambiental do estado do Acre. Um estado que tem quase 90% do seu território, ainda, coberto por florestas e que se destaca dentro e fora do Brasil, como uma região pioneira num modelo econômico que impulsiona a sustentabilidade, reaproveitando áreas abertas e promovendo o uso sustentável das áreas naturais.

Visando ampliar o processo de desenvolvimento sustentável do estado, a gestão das políticas florestais fica sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), não estando mais vinculada a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens).

Com a transição, o próximo passo será a criação do Sistema Estadual de Meio Ambiente alinhando-se ao modelo nacional de gestão ambiental, representado pelo Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA). Além disso, a mudança deve proporcionar mais apoio institucional e financeiro para execução de políticas, programas e projetos estaduais.

A gestão de todas as áreas de proteção integral e uso sustentável fica sob gestão da Sema (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
A gestão de todas as áreas de proteção integral e uso sustentável fica sob gestão da Sema (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Para o titular da Sema, Edegard de Deus, que agora também acumula toda parte de florestas do Acre, a mudança se fez necessária no atual momento vivenciado no estado. “Essa mudança é importante juridicamente, mas também representa a preocupação do governador Tião Viana com o desenvolvimento sustentável do Acre. Estamos consolidando uma política de base florestal, ambiental, sustentável, competitiva e de alta rentabilidade, tudo isso sem aumentar o desmatamento”, disse.

Na prática, a Sema recebe mais atribuições, como administrar as quatro florestas estaduais: Antimary, Gregório, Mogno e Liberdade. O Viveiro da Floresta também será administrado pela secretaria. Além disso, o Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação dos Serviços Ambientais (IMC) do Acre e a Companhia de Desenvolvimento de Serviços Ambientais (CDSA) também ficam vinculados à Sema.

Outra novidade é o manejo comunitário madeireiro e não madeireiro também passa a integrar o quadro de atribuição do órgão. O Fundo Estadual de Florestas do Acre, que executa a política florestal, extrativista, programas de produção sustentável e serviços ambientais, também sai gestão da Sedens, bem como as concessões florestais.