prevenção

Saúde elabora Plano de Ação para possível caso de enchente no Acre

Com o período de chuvas, o que tem resultado no aumento considerável dos níveis dos rios em diversos municípios do estado (Alto Acre, Baixo Acre e Juruá), a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) realizou nesta terça-feira, 14, uma reunião com as áreas técnicas do Departamento de Vigilância em Saúde para a elaboração do Plano de Ação em caso de inundações.

O objetivo, de acordo com o Centro de Informação Estratégica de Vigilância em Saúde, é possuir um instrumento de resposta para a ocorrência de eventos hidrológicos (inundação) junto aos municípios que apresentam maior vulnerabilidade de desastre natural, conforme estabelece o Plano Estadual de Contingência para o Enfrentamento de Desastre e Emergência em Saúde Pública por Enchentes.

Plano Estadual de Contingência para o Enfrentamento dos Desastres e Emergências em Saúde Pública por Enchentes, Inundações e Alagamentos foi elaborado pela Secretaria de Estado de Saúde em 2019, sendo agora atualizado Foto Odair Leal/Secom

“A gente pretende com esse plano minimizar os riscos, os óbitos e os danos da população. Por isso, as áreas técnicas trabalham de forma integrada nas ações para diminuir esses danos causados por alagações ou enchentes. Hoje tivemos essa reunião para elaborarmos um plano de trabalho, de acordo com o plano de contingência que já está preparado, de todas as áreas da Divisão de Vigilância Sanitária para ser executado no caso de alagação. Uma articulação intra e interinstitucional para a definição de responsabilidades e atuação integrada, no intuito de garantir a segurança e o bem-estar da população e dos profissionais que atuam na resposta ao desastre”, destaca a chefe do setor, Rosineide Monteiro.

O Plano Estadual de Contingência para o Enfrentamento dos Desastres e Emergências em Saúde Pública por Enchentes, Inundações e Alagamentos foi elaborado pela Secretaria de Estado de Saúde em 2019, sendo agora atualizado. O seu objetivo é nortear a atuação da Sesacre na resposta às emergências em saúde pública, organizando o setor da saúde na prevenção, preparação, resposta e reabilitação aos desastres relacionados a enchentes/inundações/alagamentos, com a finalidade de otimizar os recursos necessários à assistência e ao monitoramento da população atingida.