Atenção Básica

Saúde capacita profissionais para assistência a recém-nascidos de baixo peso ou prematuros e familiares

Mais uma ação preventiva do governo do Acre relativa à Atenção Primária à Saúde da população vem sendo realizada com profissionais que atuam no Vale do Juruá. Entre os dias 15 e 17, de quarta a sexta-feira, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), oferece, em Cruzeiro do Sul, uma capacitação voltada à assistência a recém-nascidos de baixo peso ou prematuros e seus familiares, destinada a enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, técnicos de enfermagem e docentes da Universidade Federal do Acre (Ufac).

Cerca de 45 profissionais de saúde recebem capacitação em assistência ao bebê prematuro ou de baixo peso e seus familiares. A ideia foi possível graças à parceria entre a Sesacre e o Ministério da Saúde. Foto: Diego Silva

A turma é formada por 45 profissionais que atuam em Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá, Marechal Thaumaturgo, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

Catiana Rodrigues, coordenadora regional da Sesacre, relata a importância da formação, que, além de aprimorar os conhecimentos dos profissionais, visa também reduzir a taxa de mortalidade infantil, de infecções e de permanência desses usuários nas unidades hospitalares do Estado.

“A capacitação, denominada Método Canguru, foi pensada de forma que abranja desde a Atenção Básica, que neste caso é o acesso ao pré-natal, às unidades hospitalares, onde são recebidas as gestantes. A nossa intenção, após a redução dos índices relacionados à pandemia, é de trazer à região o apoio técnico, sobretudo do MS, no que diz respeito aos índices que apresentam maiores agravos aqui no Juruá. É um trabalho de suma importância, pois a vinda desses conhecimentos nos permite chegar aos usuários do sistema de saúde em tempo hábil e nos possibilita intervir, evitando, em muitos casos, os óbitos”, declarou Catiana.

Entre os temas abordados na capacitação, estão a política de atenção humanizada, o desenvolvimento psicoativo do recém-nascido, os aspectos neurocomportamentais, posicionamento canguru, agenda de acompanhamento do bebê e sua família, orientação aos pais, seguimento ambulatorial e outros.

A equipe aborda diversos temas, como a política de atenção humanizada, o desenvolvimento psicoativo do recém-nascido, os aspectos neurocomportamentais, posicionamento canguru, agenda de acompanhamento do bebê e sua família e outros. Foto: Diego Silva

Para Priscylla Nunes Aguiar, que é a coordenadora estadual do Núcleo de Saúde da Criança, a iniciativa impacta diretamente a continuidade e manutenção do aleitamento materno. “É uma ação que também estimula o vínculo entre o bebê, os seus pais e demais familiares. Continuamos firmes em busca de melhorar o serviço em todo o estado, pois quem ganha com esses benefícios é a sociedade”, analisou.

O consultor do Método Canguru para o MS, Arnaldo Costa Bueno, relata que a grande novidade do projeto é preparar as unidades básicas de saúde e aproximá-las das unidades hospitalares para que possam garantir a continuidade do tratamento de gestantes e seus bebês prematuros.

O MS afirma que, por meio do Método Canguru, as crianças que têm nascimento precoce ou com baixo peso ganharão mais qualidade de vida. Foto: Diego Silva

“É um trabalho de prevenção da vida, uma vez que foi comprovado que o Método Canguru diminuiu mortalidade e, principalmente, as hospitalizações. Por meio dessa estratégia, as crianças ganharão qualidade de vida”, pontuou.