Rio Branco é a capital que mais trata esgoto na região Norte

Só a ETE São Francisco é capaz de tratar 120 litros de esgotamento por segundo, atendendo mais de 65 mil pessoas (Foto: Sérgio Vale /Secom)
Só a ETE São Francisco é capaz de tratar 120 litros de esgotamento por segundo, atendendo mais de 65 mil pessoas (Foto: Sérgio Vale /Secom)

O Departamento de Pavimentação, Água e Esgoto (Depasa), divulgou nesta terça-feira, 13, que a cidade de Rio Branco tem hoje o melhor índice de saneamento básico da região Norte entre capitais, com aproximadamente 50% de esgoto doméstico tratado e 70% de oferta de tratamento. Os dados são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento.

A informação foi dada durante coletiva de imprensa, que contou com a participação da governadora em exercício Nazaré Araújo, do diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães e do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do São Francisco.

Com quatro estações de tratamento de esgoto convencionais e aproximadamente 50 estações compactas existentes só em Rio Branco, o governo do Estado quer chegar em 2018 com 90% dos efluentes domésticos produzidos na capital tratados. “A gente vê um sistema com uma capacidade operacional maior do que funciona hoje. Há um compromisso do governo em saber que cada um real investido em saneamento, você evita 4 reais no sistema de saúde”, conta Nazaré Araújo.

A maior Estação de Tratamento de Esgoto do Acre, a ETE São Francisco, foi inaugurada em 2009, com capacidade de tratar até 120 litros de esgoto por segundo. Sua operação garante tratamento de parte dos resíduos líquidos despejados no Igarapé do Canal da Maternidade, que corta aproximadamente 20 bairros, onde vivem cerca de 65 mil pessoas. Magalhães, explica que: “Essa estação tem cinco anos, mas ainda é esta a tecnologia de ponta no tratamento de esgoto, agora precisamos alcançar a cidade inteira e levar esse trabalho em menor escala para os municípios”.

Para se ter uma ideia, os resíduos líquidos quando chegam na ETE possuem uma DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) na ordem de  94 mg/l. Depois do tratamento esse número chega a menos de 2,5 mg/l, uma redução de 94%. O número é bem acima do recomendado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que exige um mínimo de 60% de redução de DBO. Até mesmo peixes podem ser encontrados nos tanques da última etapa do tratamento.

O prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, também se orgulha dos resultados. “A gente tem que parabenizar o governo do Estado porque o índice de eficiente da ETE São Francisco passa dos 90%, um dos maiores do país”, disse o prefeito.