tratamento

Projeto antitabagismo é implantado no maior presídio do Acre

O Governo do Estado do Acre por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) iniciou, nesta quinta-feira, 30, o projeto antitabagismo no Complexo Penitenciário de Rio Branco. A ação é realizada em parceria com o Ministério da Saúde e coordenada pela Saúde Prisional, com apoio da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) e equipe técnica do Iapen. Além disso, atua em conjunto com o projeto Prisões Livres da Tuberculose.

Inicialmente, 74 presos que já realizam o tratamento de tuberculose serão atendidos pelo projeto. O público foi escolhido por ser parte do grupo de risco da Covid-19. Durante os atendimentos, os detentos são entrevistados e orientados sobre o tratamento para abstinência.

Detentos serão acompanhados e receberão adesivos para tratamento de abstinência Foto: Iapen/AC

“O tabaco hoje é proibido nas penitenciárias de Rio Branco. Portanto, as entrevistas serão feitas com o objetivo de conscientizar em relação aos malefícios causados ao organismo e oferecer um tratamento para a abstinência, por meio de adesivos, que são medicações fornecidas para esse combate”, explica a coordenadora técnica do Complexo Penitenciário, Samara D’anzicourt.

A gerente de Saúde, Ingrid Suárez, ressaltou que, mesmo com a proibição da entrada de tabaco nos presídios, é necessário trabalhar com medidas de educação em saúde, além do tratamento oferecido pelo projeto. “A problemática do tabagismo ainda cerca a população mundial. O fumo é um vilão que precisa ser combatido, principalmente em tempos de pandemia de Covid-19”, destaca.