Políticas de mercado de carbono, governança e salvaguardas são debatidas em Fórum Indígena

Dando sequência aos debates sobre financiamento climático em territórios indígenas, foram realizados, na tarde da quarta-feira, 5, os painéis “Programas, projetos jurisdicionais de REDD+ e políticas de mercado de carbono” e “Sistema de Incentivo a Serviços Ambientais, o Sisa, governança e salvaguardas dos programas e projetos voltados aos territórios indígenas do Estado do Acre”.

As temáticas fazem parte da programação do 1º Fórum Indígena sobre Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais do Estado, realizado ao longo desta semana no Anfiteatro da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco.

Procurador Rodrigo Neves mediou as discussões sobre projetos jurisdicional e mercado de carbono. Foto: Neto Lucena/Secom

O procurador Rodrigo Neves, da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), mediou as discussões sobre projetos jurisdicional e mercado de carbono, que contou com a participação de José Luiz Gondim, presidente da Companhia de Desenvolvimento a Serviços Ambientais (CDSA); de Mônica de Los Rios, do Earth Innovation Institute (EII); de Milena Terra, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud); de Narubia Werreria, secretária dos Povos Originários e Tradicionais do Tocantins; de Francisca Arara assessoria especial Indígena do Estado do Acre; e Kaline Rossi, da Forest Trends.

Milena Terra, do Pnud, mediou o painel sobre o Sisa, governança e salvaguardas socioambientais do Acre. Foto: Neto Lucena/Secom

O painel sobre o Sisa, governança e salvaguardas foi mediado por Milena Terra e contou com a participação do presidente do Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação de Serviços Ambientais (Sisa), Leonardo Carvalho; Jânio Aquino, da Gesellschaft fur Internationale Zusammenarbeit – GIZ no Acre; Nedina Alves Yanawanawa, diretora indígena da Secretaria estadual de Meio Ambiente e Povos Indígenas (Semapi); Poran Potiguara, do The Nature Conservancy (TNC); os membros da CTI do Sisa, Assis Gomes e Lucas Brasil Manchineri, que também preside o movimento Manxinerune Ptohi Phunputuru Poktshi Hajene (MAPPHA).

Lideranças indígenas conheceram os mecanismos financeiros de REDD+ Jurisdicional. Foto: Neto Lucena/Secom

Após as falas dos palestrantes, as lideranças indígenas puderam esclarecer dúvidas, registrar suas sugestões acerca da implementação dos projetos em suas comunidades e reforçar a necessidade de ampliar o percentual a ser destinado aos territórios indígenas. O momento também foi oportuno para a explicação dos mecanismos financeiros do REDD+ Jurisdicional nas estratégias do mercado de carbono.

O fórum

O 1º Fórum Indígena sobre Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais do Acre é uma realização do governo do Estado, por meio do Gabinete do Governador (Gabgov), da Assessoria Especial Indígena e do IMC. O objetivo é promover a conscientização da inclusão dos povos indígenas nas discussões sobre as mudanças climáticas e políticas socioambientais do Acre. O fórum se estende até sexta-feira, 7.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter