PM realiza estágio operacional para policiais que atuam na capital

Ao todo, 25 policiais militares participaram do 1º  treinamento do EAT (Foto: Saulo Negreiros/Assessoria PMAC)
Ao todo, 25 policiais militares participaram do 1º treinamento do EAT (Foto: Saulo Negreiros/Assessoria PMAC)

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar realizou durante toda esta semana o Estágio de Aplicações Táticas (EAT) para 25 PMs das unidades operacionais de Rio Branco. O curso ocorreu em período integral, na sede do Bope e também no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco.

A finalidade da capacitação é aprimorar e atualizar os conhecimentos técnicos dos militares que operam diariamente na segurança pública do Acre, visando a padronização dos serviços da Polícia Militar. O treinamento faz parte de um projeto de aperfeiçoamento técnico para os policiais que trabalham ostensivamente.

“Tenho a satisfação de estar auxiliando na execução deste estágio de suma importância para a atividade operacional, e a meta agora é levá-lo para todos os batalhões da capital”, disse o subcomandante–geral, coronel Américo Gaia.

O aprimoramento visa alcançar todos os policiais do estado (Foto: Saulo Negreiros/Assessoria PMAC)
O aprimoramento visa alcançar todos os policiais do estado (Foto: Saulo Negreiros/Assessoria PMAC)

Durante o período de estágio, os policiais militares receberam instruções de tiro, sobrevivência policial, técnicas de patrulha, instruções táticas individuais e legislação aplicada à atividade policial.

Há 16 anos ministrando cursos operacionais na Polícia Militar, o tenente do Bope, Josemar Farias, definiu as instruções como imprescindíveis para o dia a dia dos militares.

“Capacitação e treinamento são elementos fundamentais para obtermos êxito nas resoluções das ocorrências e, consequentemente, no enfretamento ao crime”, disse.

Qualificação que faz a diferença

O sargento e aluno do EAT, Willington Morais, que trabalha no 4° Batalhão de Polícia Militar, disse estar mais bem preparado para o serviço policial, depois das instruções repassadas, exaustivamente, pelos instrutores.

“O curso só agregou conhecimento. Agora me sinto mais preparado para melhor atender a sociedade e as eventuais ocorrências do dia a dia policial”, concluiu.