Operação Brasil Integrado se encerra nesta sexta-feira com saldo positivo

Ao todo foram procedidas abordagens em 1.076 pessoas e 1.250 veículos. Foram apreendidos 1.428 itens (Foto: Pedro Paulo)
Ao todo, foram procedidas abordagens em 1.076 pessoas e 1.250 veículos. Foram apreendidos 1.428 itens (Foto: Pedro Paulo)

A Operação Brasil Integrado, deflagrada no Acre na quinta-feira, 6, em Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia, Xapuri, Capixaba e Plácido de Castro, na fronteira com o Peru e a Bolívia, reuniu 300 servidores no combate aos crimes fronteiriços. As forças de segurança realizaram patrulhamento aéreo e terrestre, nas rodovias federais, estradas vicinais e ramais na região da tríplice fronteira, durante 48 horas.

“Temos vários atores envolvidos numa ação bastante exitosa. Esse trabalho é importante para o Acre e para o Brasil. O empenho de cada servidor envolvido na operação permitiu que fossem realizadas abordagens em 1.076 pessoas e 1.250 em veículos. Armas e munições foram apreendidas e pessoas foram presas por delitos diversos”, observou Emylson Farias, secretário de Segurança.

Durante a Operação Brasil Integrado no Acre, foram empregados 300 servidores das polícias Militar, Civil, Rodoviária Federal, Federal e Força Nacional, além do Detran, Receita Federal, Exército, Anvisa, Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac), Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis  (Ibama). As ações foram coordenadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

O secretário de Segurança, Emylson Farias, acompanhou as ações de segurança na faixa de fronteira se reuniu com oficiais da Polícia Nacional Boliviana e depois realizou sobrevoo na área limítrofe de Epitaciolândia e Brasileia. A ideia é estreitar a cooperação entre as forças de segurança dos dois países no enfrentamento aos crimes na região.