Nova usina de beneficiamento de castanha gera empregos em Rio Branco

O maquinário da indústria está em fase final de teste (Foto: cedida)
Maquinário da indústria está em fase final de teste (Foto: cedida)

“Eu dizia para mim mesma que antes de completar meus 40 anos queria ter um emprego de verdade.” Este é o relato de Aldenira Maria Lima, 34 anos, mãe de três filhos.

Ela está há dois meses contratada pela Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre), em fase final dos testes do maquinário da nova usina de beneficiamento de castanha, desta vez em Rio Branco.

Aldenira conta que ter um emprego formal era um sonho. “Estou muito agradecida por essa oportunidade. Para mim, ter carteira assinada sempre foi meu sonho, e eu devia isso aos meus filhos, para poder oferecer coisa melhor a eles, por isso, vou fazer o meu melhor aqui na empresa”, salienta.

Quem também está comemorando o fato de ter um emprego é Valéria Silva e Silva. Pouco tempo depois de completar 18 anos de idade, ela nem esperava consegui-lo tão rápido. Segundo ela, dois dos seus irmãos também são contratados pela Cooperacre na indústria de beneficiamento de polpas de frutas.

Cheia de expectativas, Valéria faz planos com seu primeiro salário. “Estou muito feliz de ter conquistado esse emprego, pois vou poder ter as coisas que eu quero com meu próprio salário”, comentou.

Potencial da usina

A capacidade inicial da indústria vai gerar 100 empregos diretos (Foto: Diego Gurgel/Secom)
A capacidade inicial da indústria vai gerar 100 empregos diretos (Foto: Diego Gurgel/Secom)

De acordo com o superintendente da Cooperacre, Manoel Monteiro, neste primeiro momento a indústria vai funcionar com um terço da linha de equipamentos, o que significa o processamento de 300 mil latas de castanha in natura e 900 mil quilos processados no primeiro ano.

“Quando toda a capacidade da indústria estiver sendo utilizada, significa que esses números vão ser três vezes maiores”, explicou.

Com a capacidade inicial da usina, estima-se que serão gerados 100 empregos diretos e mais de mil indiretos. No médio prazo, a cooperativa, que contrata pessoal tanto da área comercial quanto de controle interno e linha de produção, já tinha 250 funcionários no quadro e vai saltar para 450 empregados diretamente.