Mostra Cinema e Direitos Humanos se inicia em Rio Branco na segunda

Filme “Que Bom Te Ver Viva”, abre a mostra na segunda, 8, 18h30, na Filmoteca Acreana
Filme “Que Bom Te Ver Viva”, abre a mostra na segunda, 8, 18h30, na Filmoteca Acreana

Inspirada nos 50 anos do golpe militar, a 9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul se inicia em Rio Branco,na segunda-feira, 8, a partir das 18h30, na Filmoteca Acreana, com a exibição do filme “Que Bom Te Ver Viva”, de Lúcia Murat, homenageada do projeto. Até o dia 13, sábado, 41 filmes estarão sendo exibidos nas sessões gratuitas às 13, 15, 17 e 19 horas.

A novidade em 2014 são filmes produzidos não só na América do Sul, como nos outros anos, mas também em países do Hemisfério Sul, como Egito e Jordânia.

O mostra está sendo realizada desde 3 de novembro e se estende até 20 de dezembro nas 26 capitais e o Distrito Federal.

Homenagem a Lúcia Murat

A cineasta Lúcia Murat esteve envolvida com os movimentos políticos de resistência ao golpe, foi presa em 1971, e levou suas experiências para as telas do cinema.Os filmes que marcam a obra de Murat: “Brava Gente Brasileira”, “Uma Longa Viagem”, “Doces Poderes” e “Que Bom Te Ver Viva”, fazem parte da programação.

Em “Que Bom Te Ver Viva”, filme de abertura, a narrativa discorre sobre duas décadas depois do golpe, onde oito ex-presas políticas falam sobre a luta e a tortura vividas durante o regime militar brasileiro e a experiência de ter sobrevivido. Entre os depoimentos, delírios e confissões de uma personagem anônima, que reflete sobre o peso de ter sobrevivido lúcida às torturas.

A9ª Mostra oferece filmes em closed caption e sessões que incluem audiodescrição, voltadas para pessoas com deficiência visual.

A realização é da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), em parceria com o Ministério da Cultura (MinC) e a Universidade Federal Fluminense (UFF), com o apoio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e Fundação Euclides da Cunha, além do patrocínio da Petrobras e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No Acre, o apoio cultural é da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Fundação Elias Mansour (FEM) e Secretaria de Estado de Turismo (Setul).