Ministro e governador prestigiam posse de superintendente da PF

José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça e outras autoridades de Estado participaram da solenidade (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça e outras autoridades de Estado participaram da solenidade (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e o governador Tião Viana participaram na tarde desta sexta-feira, 7, da solenidade de posse do novo superintendente da Polícia Federal do Acre, Araquém Alencar Tavares. A solenidade foi realizada no auditório do prédio da PF e contou com a presença do vice-presidente do Senado, Jorge Viana, senador Aníbal Diniz e outras autoridades de Estado.

Araquém Tavares assume a vaga deixada pelo delegado Marcelo Sávio Rezende, que assumirá a superintendência da PF, no Amazonas. Em seu discurso de posse Tavares ressaltou que será firme no combate ao crime organizado e confessou que considera este tipo de criminalidade como um dos maiores violadores dos Direitos Humanos. “Vou cumprir essa missão com os desígnios de Deus. Posso até desagradar alguns, mas sempre respeitarei os desígnios divinos”, acrescentou.

O ministro deu boas vindas ao empossado em sua nova função e destacou que o delegado chega ao cargo pelo currículo e pela capacidade que construiu na carreira como um bom policial federal.

“Tenha certeza que, no Ministério da Justiça, vossa excelência receberá toda a autonomia funcional. E, sempre também receberá a orientação para que os limites da constituição sejam respeitados. Boa sorte. O seu sucesso é o sucesso do Ministério da Justiça e o sucesso do Ministério da Justiça é o sucesso do interesse público daquilo que a sociedade brasileira nos exige e nos reclama”, completou José Eduardo Cardozo.

Tião Viana afirmou que o respeito deste governo pela PF é direto e objetivo. O governador lembrou que tem em seu quadro de dirigentes três servidores que foram superintendentes da Federal, atuando na área de segurança pública. “Isso demonstra o meu respeito com a história dessa instituição na defesa da sociedade e da norma constitucional vigente das funções públicas”, comentou.

O governador disse ainda que seu desejo é sempre ver as instituições fortes e maduras, com pleno ambiente de diálogo. “Acredito que a Polícia Federal seguirá com sua independência, com suas obrigações constitucionais”, concluiu.

Galeria de Imagens