Meio Ambiente na Expoacre Juruá

Meio Ambiente realiza atendimento, palestras e distribuição de mudas na Expoacre Juruá 2019

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) estão presentes na Expoacre Juruá 2019 com ações educativas, com destaque para a regularização ambiental. A equipe do escritório do Cadastro Ambiental Rural (CAR) está realizando atendimentos das 18h às 22h, orientando os produtores rurais da região do Juruá sobre o CAR e o Programa de Regularização Ambiental (PRA).

Equipe do escritório do Cadastro Ambiental Rural (CAR) está realizando atendimentos das 18h às 22h Foto: Neto Lucena

Neste sábado, das 15h às 17h, haverá uma palestra sobre monitoramento ambiental e queimadas ilegais no Auditório Juruá. O coordenador do escritório do CAR, Cláudio Cavalcante, explicou que a abordagem do tema será voltada para a comunidade acadêmica, mas todos podem participar. Após a palestra haverá a distribuição de aproximadamente 5 mil mudas frutíferas e florestais, numa parceria entre a Sema e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Cruzeiro do Sul (Semeia).

“Vamos tratar de um assunto que interessa a todos, como está a situação das queimadas no Acre e principalmente como cada um pode colaborar com o processo de sensibilização da população”, disse Cláudio Cavalcante.

Espaço da Sema está montado na avenida Mâncio Lima, durante a feira Foto: Neto Lucena

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani, está participando da Expoacre Juruá. “Antes mesmo da abertura oficial da Expoacre Juruá, a Sema estava na região fazendo palestras sobre o PRA para técnicos de várias instituições municipais, estaduais e federais. É uma das nossas principais estratégias, aproximar a gestão ambiental do Estado do produtor rural”, argumentou.

Cooperativas

Outro destaque é a participação das cooperativas subsidiadas pelo Governo do Estado do Acre através da Sema. Estão expondo os seus produtos na Expoacre Juruá a Cooperativa dos Produtores de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Cintra (Coopercintra), de Rodrigues Alves, a Cooperativa de Produtores de Polpa de Frutos Nativos de Mâncio Lima (Coopfrutos) e a Cooperativa de Produtores Familiares e Economia Solidária da Floresta do Mogno (Coopermogno).

Estão sendo comercializados os produtos das cadeias de valor florestal não madeireiro do cocão, buriti e murmuru como óleos, manteiga, sabão, sabonete e carvão. As cooperativas são dos municípios de Tarauacá, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.