Manejo da fauna silvestre é tema de encontro

Troca de experiência e intercâmbio de informações fazem parte do V Encontro de Manejadores da Fauna Silvestre do Acre

encontro_demanejadores_270808_3.jpg

Encontro tem objetivo de socializar as formas de trabalho que alcançam resultados positivos. (Foto: Angela Peres/Secom)

Oportunizar a troca de experiência, aprofundar os conhecimentos técnicos e formular propostas para a área. Estes são os objetivos do quinto Encontro de Manejadores da Fauna Silvestre que acontece no período de 27 a 29 de agosto no auditório da Secretaria de Extensão Agroflorestal e de Produção Familiar (Seaprof).

O público alvo do encontro são as comunidades indígenas, ribeirinhos, técnicos e estudantes que trabalham com o sistema de manejo no Estado. Durante três dias manejadores, apicultores e criadores irão debater e apresentar as experiências nas áreas de Gestão Territorial Indígena, criação de pacas, manejo do pirarucu, quelônios, jacarés, caça e também criação de abelhas nas terras indígenas.

Para o criador de pacas de Senador Guiomard, Carlos Alonso Santiago, o processo é lento e requer muita paciência. “Porém os resultados são satisfatórios”, disse ele. A meta do projeto Recriando é chegar a 50 matrizes para então começar a comercialização.

A gerente de Manejo Comunitário de Fauna da Seaprof, Edna Costa, destaca que os encontros anteriores já resultaram no aumento do número de quelônios encontrados nos lagos. Outros benefícios apontados pela gerente são a elaboração de acordos de caça e também o início do manejo com jacarés.

“Nosso trabalho é um processo educativo. A conscientização e a mudança de hábitos das famílias são o mais importante”, ressaltou Edna. Atualmente mais de 700 famílias trabalham com manejo em Tarauacá, Manuel Urbano, Feijó, Acrelândia e Senador Guiomard.

O secretário de Extensão e Produção Familiar, Nilton Cosson, o encontro visa socializar as formas de trabalho que vem alcançando resultados positivos. Além disso, segundo ele, as experiências e o intercâmbio servirão de base para as propostas que serão apresentadas no 8° Congresso Internacional  Sobre Manejo de Fauna Silvestre na Amazônia e América Latina (Cimfauna), que será realizado de 1º a  5 de setembro no auditório da Faculdade da  Amazônia Ocidental (FAAO), em Rio Branco.

“O mais importante do encontro é a divisão de conhecimento de um trabalho de manejo que vem dando certo”, concluiu Jocemir Runicuim, representante da aldeia São Vicenti.