Inquérito sorológico atesta qualidade de rebanho suíno do Acre

A estimativa do Idaf é coletar o sangue de cerca de 1,3 mil animais em todas as regiões do estado (Foto: Leônidas Badaró)
Estimativa do Idaf é de coletar o sangue de cerca de 1,3 mil animais em todas as regiões do Estado (Foto: Leônidas Badaró)

Em maio deste ano, o Acre deu um grande passo para consolidar a criação de suínos como uma atividade produtiva importante para sua economia quando conseguiu, na França, o reconhecimento internacional como zona livre da peste suína clássica pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Servidores do Idaf e produtor rural após a coleta de sangue de suínos em propriedade rural no município do Bujari (Foto: Leônidas Badaró)
Servidores do Idaf e produtor rural após a coleta de sangue de suínos em propriedade rural de Bujari (Foto: Leônidas Badaró)

O desafio do governo do estadual, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), é promover políticas públicas que mantenham o status, que é de suma importância para o desenvolvimento da suinocultura no Estado.

É o caso do inquérito sorológico que vem sendo realizado em todas as regiões do Acre, para atestar que o rebanho está livre da peste suína.

O trabalho tem por objetivo coletar o sangue de cerca de 1,3 mil animais acima de oito meses de idade – que são considerados adultos -, em 290 propriedades rurais, e enviar a um laboratório credenciado, que faz a análise do material.

“A peste suína é uma doença viral de alto contágio, já que os suínos se contaminam muito facilmente quando existe outro animal com a doença. E por ser de notificação obrigatória para a OIE, nós enviamos o resultado ao Ministério da Agricultura, que o repassa à Organização Mundial de Saúde Animal”, explica o  gerente do programa de sanidade suína do Idaf, Danilo Mazzo.

Estado possui mais de 70 mil suínos

‡Para fazer a coleta de alguns animais que pesam mais de 150 quilos é necessário o esforço de vários servidores do Idaf (Foto: Leônidas Badaró)
‡Para fazer a coleta de alguns animais que pesam mais de 150 quilos, é necessário o esforço de vários servidores do Idaf (Foto: Leônidas Badaró)

Segundo levantamento da defesa agropecuária, em todo o Estado existem suínos em 5,4 mil propriedades rurais, 42 granjas e uma unidade produtiva de leitões (UPL) em Brasileia. O rebanho suíno acreano é estimado em 73 mil animais.

Na manhã desta terça-feira, 21, servidores do Idaf realizaram a coleta do sangue de animais em propriedades de Bujari.

Uma delas fica no quilômetro 2 do Ramal Uberaba. Francisco de Assis Souza tem na criação de suínos uma das fontes de renda da família. “É um trabalho de grande importância que o Idaf está fazendo aqui na minha propriedade. Este acompanhamento faz com que a gente possa oferecer um alimento de qualidade para as pessoas”, destaca.

O Idaf estima que o trabalho de coleta de sangue no Estado ainda demore cerca de 40 dias.

“O Acre fez um grande investimento, em parceria com a iniciativa privada, na cadeia produtiva dos suínos no Estado. Nosso esforço é para que cada vez tenhamos um rebanho de qualidade, para que nossa carne suína continue alcançando novos mercados no Brasil e no exterior”, afirma Ronaldo Queiróz, diretor-presidente do Idaf.

Últimas notícias

Saúde 03/06/2020 - 12h16min

Nota Pública

enfrentamento da pandemia 03/06/2020 - 10h27min

Governo do Estado decreta ponto facultativo no dia 5 de junho

Medidas contra Covid-19 em Assis Brasil 02/06/2020 - 11h03min

Nota Pública