Governo reinaugura Escola Maria Angélica de Castro, no Segundo Distrito

Tião Viana afirma que a escola é merecedora de toda atenção já que foi berço de tantas gerações no Acre (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Tião Viana afirma que a escola é merecedora de toda atenção, já que foi berço de tantas gerações no Acre (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Situada no Segundo Distrito de Rio Branco, a Escola Maria Angélica de Castro é um dos patrimônios culturais e educacionais mais antigos do estado, com 65 anos de fundação.

Após obras de reforma e ampliação que custaram mais de R$ 1,2 milhão, o governador Tião Viana reinaugurou o espaço responsável pela formação educacional de cerca de 500 alunos. O ato reuniu membros do governo, estudantes e o deputado federal Léo de Brito.

As intervenções estruturais foram realizadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (Seop). Desde que as obras foram iniciadas, os alunos assistiram às aulas, provisoriamente, no prédio da Escola Luíza Carneiro Dantas, no bairro Cidade Nova, mas agora já estão de volta à unidade.

As obras de reforma e ampliação custaram mais de R$ 1,2 milhões, e a escola possui quase 500 alunos (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
As obras de reforma e ampliação custaram mais de R$ 1,2 milhão, e a escola possui quase 500 alunos (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

“Desde o dia 10 de agosto estamos de volta à nossa escola. Aguardamos a reforma com muita ansiedade, e hoje estamos muito felizes porque aqui nós prestamos relevantes serviços à educação do Acre”, afirmou a diretora Josefa Oliveira.

Para o governador Tião Viana, a escola Maria Angélica de Castro é merecedora de toda atenção, já que foi berço de tantas gerações no Acre.

“Hoje a gente entrega uma escola que alcança 5;9 no Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica], e isso é um alcance que orgulha o Acre, o Brasil. Essa escola é merecedora de toda atenção, apoio e solidariedade, para que, com responsabilidade, diálogo e mãos dadas, continue formando tantos alunos”, disse o governador.

O secretário de Educação, Marco Brandão, garantiu aos alunos que no ano que vem o governo vai avançar na climatização; com a instalação de ar-condicionado. “Essa unidade passou por uma grande reconstrução. A escola está bonita e com toda comodidade necessária para atender a comunidade escolar”, garantiu o gestor.

Berço de tantas gerações no Acre

Marines Lopes estudou na Maria Angélica há 45 anos. Depois das filhas, agora é a vez das netas (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Marines Lopes estudou na Maria Angélica há 45 anos. Depois das filhas, agora é a vez das netas (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Inaugurada em 15 de outubro de 1950, simbolicamente no Dia dos Professores, a escola é considerada um marco da educação infantil no Acre.

A servidora pública Marines Lopes lembrou que há 45 anos ela concluía o ensino infantil na Maria Angélica, e jamais imaginava que seria funcionária da educação estadual um dia. Mais que isso, não imaginava que as filhas e, mais tarde, as netas estudariam na mesma escola que ela.

“Comecei aqui com quatro anos de idade. Isso foi há mais de 40 anos, e hoje eu estou aqui fotografando os alunos da escola que um dia também foi minha, onde eu também já fui como eles”, conta a ex-estudante.

Histórico

O primeiro nome da unidade de ensino foi “Grupo Escolar 24 de Janeiro”, em referência à rua onde a escola está localizada, e batizada posteriormente como Maria Angélica de Castro, em homenagem à professora Maria Angélica de Castro, que àquela época era diretora do Departamento de Cultura do então Território do Acre, durante o governo de José Guiomard dos Santos.

Maria Angélica foi uma das mulheres que fez história na educação acreana, prestando relevantes serviços à sociedade, e teve como lema de vida: “Mãos para o trabalho, coração para Deus, amor para o próximo”.