Governo reduz índices de criminalidade em todo o Estado

Nesta segunda-feira, comandantes de regionais de segurança pública da capital e interior fizeram exposição dos resultados do primeiro trimestre e do planejamento estratégico

reuniao_seguranca_foto_angela_peres_06.jpg
reuniao_seguranca_foto_angela_peres_03.jpg

O Plano de Metas está sedo levado ao conhecimento das comunidades do interior para que seja explicado e adequado às necessidades de cada região (Foto: Angela Peres/Secom)

No início do ano, a exemplo do que ocorreu com as demais secretarias, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) reuniu seus técnicos e elaborou um plano de metas a ser executado ao longo de 2011. O plano de metas é uma das diretrizes administrativas do governo estadual como forma de acompanhar o desenvolvimento de cada pasta e exigir dos seus principais assessores políticas públicas para cada setor da sociedade, mas que atenda interesses comuns e que as ações tenham o máximo de envolvimento da população.

No âmbito da Sesp, após a elaboração do plano de metas, foi apresentado ao governador. Ele gostou e aprovou. Exigiu que a cada três meses o secretário apresentasse resultados e o informasse sobre quais as dificuldades na execução das metas.

O Plano de Metas está sedo levado ao conhecimento das comunidades do interior para que seja explicado e adequado às necessidades de cada região, através de fóruns municipais e regionais de segurança pública. O secretário adjunto de Segurança Pública, Ermicio Senna, à frente da coordenação dos fóruns municipais, explica que os fóruns serão permanentes. “A própria comunidade poderá convocá-los e aplicar as mudanças que melhor atender suas necessidades.”

Apresentação da primeira prestação de contas

Por toda manhã desta segunda-feira, 26, comandantes de regionais de segurança pública da capital e interior fizeram exposição dos resultados do primeiro trimestre e do planejamento estratégico para redução dos indicadores de crimes, com foco nos crimes contra a vida, o patrimônio e o tráfico de drogas.

Ao final do encontro, a satisfação pelo dever cumprido e a comprovação de que a segurança pública do Acre caminha para alcançar a satisfação e proporcionar segurança para a população.

Os números deixaram todos bem otimistas

O secretário de Articulação Institucional, José Fernando Rêgo, representando o governador Tião Viana na reunião, disse que estava surpreso pelos resultados alcançados em apenas três meses. De acordo com ele, na reunião do próximo dia 10, quando todas as secretarias farão a exposição dos seus resultados, a Secretaria de Segurança Pública será destaque.

Para o secretário de Polícia Civil, Emylson Farias, os resultados positivos desse momento não devem servir de influencia para acomodações. Ele entende que o caminho é longo e há muito a ser feito.

O secretário de Segurança Pública, Reni Graebner, disse estar feliz pelos resultados já alcançados. “Quando elaboramos nosso plano de metas, muitos consideraram excesso de otimismo o pleito de 10% na redução dos indicadores de violência. Com apenas três meses, conseguimos atingir a marca de 50%.”

Na região do Alto Juruá, onde estão os municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Taumaturgo e Porto Walter, existem deficiências de material humano – viaturas (carros e motos) adequadas às especificidades da região, reformas e ampliação de delegacias e quartéis são algumas reivindicações.

No Vale do Purus, a preocupação é  com a fiscalização rodoviária para inibir a migração de criminosos que vão de Rio Branco até Sena Madureira para cometer roubos e furtos. Excesso de armas de fogo, furtadas por bandidos na zona rural, e até falta de iluminação pública que facilita a ação de traficantes, também entraram em discussão.

Em Feijó foi delatado que o consumo indiscriminado de álcool entre a população indígena é um fator que contribui para violência, enquanto Tarauacá, cuja área rural se estende em direção a Cruzeiro do Sul, concentra maior densidade populacional e registra diversos tipo de delitos motivados por bebida alcoólica.

Em três meses haverá nova reunião para avaliar os indicadores de criminalidade referentes ao primeiro semestre de 2011.