arrecadação

Governo realiza leilão de 3,2 mil veículos e bens móveis

O Governo do Acre, por meio da secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), realiza nesta sexta-feira, 31, um grande leilão envolvendo a venda de 200 veículos automotores e três mil bens móveis inservíveis de diversas secretarias e outros órgãos da administração direta e indireta.

Entre os automóveis estão caminhonetes, carros de passeio, quadriciclo, caminhões e motocicletas, todos organizados em lotes individuais. Dada a seriedade do processo, um engenheiro mecânico do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre) e comissões da Seplag e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AC) avaliaram o estado de todos os veículos, assim como estabeleceram os valores de lance mínimo.  Já os outros bens disponíveis para arrematação foram divididos em sete lotes e são equipamentos de informática, eletroeletrônicos e mobiliários.

Leilão de veículos e bens móveis do governo contou com a participação de interessados do Acre e outros oito estados do país Foto: Marcos Vicentti/Secom

O sucesso do leilão foi comprovado em números. Mais de 300 participantes do Acre e outros oito estados do país estavam habilitados para participar da concorrência pública. A expectativa do governo é que a arrecadação seja de, pelo menos, R$ 1 milhão.

Desta forma, o governo encontra uma solução legal para se desfazer de bens antigos e ainda traz economia para os cofres públicos. Uma delas diz respeito principalmente aos custos com manutenção de veículos. Além disso, proporcionará a desocupação de diversos galpões pertencentes ao Estado.

Jarbas Anute, secretário-adjunto de Planejamento, destacou a visibilidade e transparência do Estado na realização do leilão Foto: Marcos Vicentti/Secom

Segundo o secretário-adjunto de Planejamento, Jarbas Anute, a realização do leilão foi um pedido do próprio governador Gladson Cameli logo no início da gestão. Ele destacou ainda que um enorme esforço coordenado pela Seplag junto a todos os setoriais de patrimônio  foi realizado para que se fazer um levantamento completo e sistematização de informações dos bens leiloados.

“Levamos praticamente um ano para fazer o levantamento de todas as informações dos bens que são inservíveis e que não têm mais utilidade ou vantagem para o Estado manter. Apresentamos essa proposta por meio de um projeto de lei que foi aprovado pela Assembleia Legislativa e valoramos cada item. O governador insistentemente nos cobrou isso e, finalmente, conseguimos trazer um leilão com extrema visibilidade e total transparência”, declarou Anute.