fomentar valores

Governo realiza formatura do Projeto Polícia Civil na Escola

O governo do Acre, por meio das secretarias de Educação, Cultura e Esportes (SEE) e Justiça e Segurança Pública (Sejusp), além da Delegacia-Geral de Polícia, realizou na manhã desta quarta-feira, 30, no auditório da Escola de Gastronomia, na Cidade do Povo, em Rio Branco, a formatura de 25 alunos do Projeto Polícia Civil na Escola.

Participaram da solenidade a secretária Socorro Neri (SEE); o delegado-geral adjunto de Polícia Civil, Vanderlei Thomaz; o diretor da Academia de Polícia Civil (Acadepol), delegado Thiago Fernandes; o presidente da Câmara de Rio Branco, vereador N. Lima; além do coordenador do projeto, o agente de polícia Marcos Pina.

Ao todo, 25 alunos do ensino fundamental, anos iniciais, participaram da formatura. Foto: Mardilson Gomes

Foi a quinta edição do projeto. No ano passado, foram realizadas duas edições. Uma em novembro, na Escola Raimundo Hermínio de Melo e a segunda, em dezembro, na Escola Airton Senna, ambas também em Rio Branco. Polícia Civil na Escola é uma articulação do Projeto Acre pela Vida, por uma Cultura de Paz, realizado pela Sejusp.

Os alunos que participaram da formatura são dos 2º, 3º e 4º anos do ensino fundamental, anos iniciais, da Escola Márcio Bestene Kouri, da Cidade do Povo. O projeto tem como princípio a execução de atividades preventivas de segurança pública em territórios de vulnerabilidade social e o objetivo de realizar a construção coletiva de uma cultura de paz.

O projeto é executado por policiais que ajudam a criar uma alternativa de aprendizado paralelo à criança, adotando mecanismos lúdicos, psicológicos, disciplinadores, sociais e esportivos, necessários para a formação de cidadãos conscientes de seus direitos e deveres, fazendo dos alunos precursores e multiplicadores do pleno exercício da cidadania.

Secretária Socorro Neri (SEE) prestigiou a formatura dos alunos. Foto: Mardilson Gomes

Na solenidade, a secretária Socorro Neri destacou a parceria da Educação com as instituições militares, incluindo os colégios militares, os cívico-militares e projetos como o Polícia Civil na Escola e o Proerd.

“O direito à educação não é apenas um direito de aprender, mas também de fomentar valores fundamentais para a construção da sociedade que desejamos, com pessoas solidárias, justas, participativas e produtivas. Por isso, essas parcerias precisam ser ampliadas para alcançar mais escolas”, afirmou.

Já o delegado Vanderlei Thomaz destacou o orgulho que é em fazer parte uma instituição que realiza um projeto de “tamanha envergadura”. Ao se dirigir aos alunos, afirmou: “Vocês são a esperança de um mundo melhor, de uma sociedade com mais respeito aos pais, aos professores, com mais igualdade e menos discriminação”.