Governo lança Programa Sesacre em Redes no Juruá

Ampliar a capacidade de atendimentos e melhorar a qualidade da saúde pública aos cidadãos juruaenses são pontos estratégicos da atual gestão governamental. Assim, nesta segunda-feira, 28, foi lançado em Cruzeiro do Sul,  no Teatro dos Náuas, o Programa Sesacre em Redes.

Sesacre em Redes é lançado em Cruzeiro do Sul. Foto: Marcos Santos/Secom.

O evento objetiva melhorias em serviços de saúde na região do Juruá. Por isso, a  Diretoria de Redes de Atenção à Saúde delimitou um conjunto de ações individuais e coletivas para a promoção, proteção,  prevenção de agravos, diagnósticos, tratamentos, reabilitação e manutenção da saúde em toda a região.

“Esse projeto é de grande relevância para a regional. Apontando os indicadores das maiores dificuldades, nossa proposta é realizar uma escuta com os atores da saúde na região. Nesse sentido, podemos construir juntos um plano de ação e apontar melhorias”, destacou Rodrigo Silveira, médico de família e comunidade.

Profissionais da saúde discutem melhorias para a região do Juruá. Foto: Marcos Santos/Secom.

O atual sistema de saúde estadual visa assegurar igualdade de oportunidades e meios para que todas as pessoas realizem seu potencial humano: ambientes favoráveis, acesso à informação, habilidades para viver melhor. Os profissionais da saúde têm a responsabilidade de contribuir para que tal finalidade seja atingida.

“Com foco na atenção primária, reunimos médicos, agentes comunitários de saúde, enfermeiros e gerentes das unidades de saúde para traçar estratégias de como podemos melhorar nossos serviços para a população”, enfatizou Ana Beatriz, diretora de Redes.

A promoção da saúde é um processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida, incluindo uma maior participação no controle deste processo.

Sesacre em Redes visa melhorias nos serviços de saúde da região do Juruá. Foto: Marcos Santos/Secom.

“Esperamos que o evento oportunize o fortalecimento da Rede de Atenção à Criança, diminuição da mortalidade infantil, autonomia nos atendimentos assistenciais, atualização de manejos clínicos pediátricos, capacitação da equipe assistencial, bem como o fortalecimento da rede como um todo”, pontuou Iglê Monte, gerente da maternidade de Cruzeiro do Sul.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest