Investimento de R$25 milhões

Governo lança mutirão para mais de 5 mil cirurgias pelos próximos seis meses

Por seis meses, mais de 5 mil pessoas que aguardam na fila das cirurgias passarão por intervenções  de cirurgia-geral, vascular, urologia, ginecologia, cabeça e pescoço, otorrinolaringologia, mastologia e pediatria

Em um momento histórico para o Acre, o governador Gladson Cameli lançou, nesta terça-feira, 17, o super mutirão das cirurgias eletivas para beneficiar ao menos 5 mil acreanos que estão na fila para procedimentos cirúrgicos na Fundação Hospitalar do Estado do Acre (Fundhacre). O ato do governador permitirá que a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) retome o calendário das cirurgias não-emergenciais, iniciado em janeiro de 2020, mas abruptamente interrompido com a chegada da pandemia de covid-19, em março daquele mesmo ano.

Governador Gladson Cameli posa para foto com Esmeralda Silva, funcionária da Fundhacre que foi à cerimônia para prestigiar o lançamento do mutirão. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Hoje estamos dando reinício a um dos projetos mais importantes da nossa gestão na área da Saúde. O mutirão das cirurgias eletivas, se não zerar a fila da regulação para procedimentos cirúrgicos, vai reduzir significativamente a espera desses pacientes, melhorando a qualidade de vida daqueles que mais precisam”, afirmou Gladson Cameli para uma centena de pacientes, sindicalistas, representantes de entidades de classe, secretários de estado, deputados e vereadores.

Governador Gladson Cameli cumprimenta o presidente da Fundação Hospitalar do Estado do Acre, João Paulo Silva, e a secretária de Estado de Saúde, Paula Mariano. Foto: Diego Gurgel/Secom

Por seis meses e a um custo total de R$ 25 milhões, os profissionais médicos do estado estarão realizando procedimentos cirúrgicos nas áreas de cirurgia-geral, vascular, urologia, ginecologia, cabeça e pescoço, otorrinolaringologia, mastologia e pediatria. Desses recursos, R$ 15 milhões são originários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AC), por meio da arrecadação de licenciamento, taxas de habilitação e de veículos. A outra parte do montante tem origem em emenda parlamentar do senador Márcio Bittar, um total de R$ 10 milhões.

Governador Gladson Cameli fala da satisfação de ter realizado mais um sonho, o da retomada do mutirão que vai beneficiar mais de 5 mil pessoas. Foto: Diego Gurgel/Secom

Além disso, pelo menos R$ 861 mil em recursos próprios do governo do Estado possibilitaram a compra de equipamentos médico-hospitalares para o serviço de fisioterapia e para a Oficina Ortopédica da Fundhacre, e também para equipar o Hospital do Idoso.

Equipamentos para o serviço de fisioterapia e ortopedia e para o Hospital do Idoso comprados com recursos próprios de mais de R$ 800 mil. Foto: Diego Gurgel/Secom

Para o governador Gladson Cameli, o empenho da diretoria do Detran-AC, que tem à frente a policial militar Taynara Martins, e do senador Márcio Bittar pelos recursos destinados, “vai ajudar a melhorar a vida dos nossos irmãos acreanos, de Assis Brasil a Marechal Thaumaturgo, de Plácido de Castro a Cruzeiro do Sul”.

Servidoras da Fundhacre celebram mutirão que vai durar seis meses e beneficiar mais de 5 mil pessoas. Foto: Diego Gurgel/Secom

“O que estamos vivendo aqui faz parte da realização de um sonho que sonhei a vida toda, o de ser ser governador para ajudar as pessoas. Por isso, este é um dia que me deixa extremamente feliz”, completou o governador em seu discurso, sendo aplaudido por pessoas que serão beneficiadas e suas famílias, que fizeram questão de comparecer à cerimônia.

Governador Gladson Cameli conversa com dois dos beneficiados pelo mutirão que vai durar seis meses. Foto: Diego Gurgel/Secom

Gladson fez uma deferência especial também ao presidente da Fundhacre, João Paulo Silva e à secretária de Estado de Saúde, Paula Mariano, os quais foram classificados como essenciais para que esse esforço grandioso pudesse tomar corpo, saindo do papel.

Governador Gladson Cameli posa para foto com servidoras da Fundhacre que foram à cerimônia para prestigiar o lançamento do mutirão. Foto: Diego Gurgel/Secom

Entre os pacientes, há quem espera por uma cirurgia por mais de 5 anos

A aposentada Maria Neci da Silva de Carvalho, de 77 anos, há pelo menos seis anos esperava por uma intervenção cirúrgica que colocasse um fim na sua hérnia no umbigo, depois de ter feito uma laparotomia exploradora, procedimento para retirar um cisto no estômago.

Dona Maria Neci mostra exames; ela diz que “agora vai chegar o alívio”. Foto: Diego Gurgel/Secom

Depois do procedimento, ela passou a conviver com a hérnia que deformou a barriga de tal modo que parece que ela anda com uma maçã próxima ao umbigo.

“Em 2018, cheguei a ficar 18 dias sem comer nem beber nada. Nos exames, acusava que eu só tinha líquido na região da barriga. Aí veio a pandemia e a coisa não andou. Hoje, graças a Deus e à compreensão do governador, agora eu posso dizer que minha esperança não foi em vão”, diz dona Neci, ao lado do irmão, Almir Chagas Rodrigues, de 69 anos.

Almir, que sofre de problemas de cálculos na vesícula abre um sorriso após o início do mutirão. Foto: Diego Gurgel/Secom

Almir também estava na fila das cirurgias e passará por uma operação de retirada de vesícula. O vigilante aposentado sofria de crises constantes de dores, que o impossibilitava de viver uma vida normal há três anos. “Graças a Deus que, agora, tudo vai mudar”, ressaltou, esperançoso pelos próximos dias.

Participaram da solenidade profissionais da Saúde, representantes de associações de moradores, presidentes de autarquias estaduais e parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado do Acre e da Câmara de Vereadores de Rio Branco.