monitoramento

Governo envia equipe para investigar morte de jovem, supostamente por dengue, em Cruzeiro do Sul

Trabalho de combate ao mosquito transmissor Aedes aegypti é do município, cabendo ao Estado apenas orientar as secretarias de Saúde do interior

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), envia na próxima segunda-feira, 6, a Cruzeiro do Sul, uma equipe do Departamento de Vigilância Epidemiológica para investigar as causas da morte de uma adolescente de 16 anos, supostamente por dengue.

O trabalho do Estado no combate à dengue é de orientação, monitoramento da doença e de investigação dos casos de óbito, sendo as secretarias de Saúde dos municípios, as responsáveis pela prevenção e eliminação dos focos do mosquito transmissor.

Trabalho do Estado no combate à dengue é de orientação, monitoramento da doença e de investigação dos casos de óbito Foto: Arquivo

“Estaremos em Cruzeiro auxiliando o fluxo de atendimento [das pessoas acometidas pela dengue] dentro dos hospitais e investigando em que circunstâncias o óbito da adolescente ocorreu”, explica Glória Nascimento, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde da Sesacre.

Por ser de responsabilidade dos municípios, os recursos para o combate à dengue são repassados diretamente do Ministério da Saúde (MS) para as administrações locais.

A Sesacre, no entanto, acompanha os trâmites principais, como, por exemplo, o envio de inseticidas que são borrifados nos bairros pelo Ministério da Saúde. Segundo o MS, essas ações só devem acontecer a partir de março, o que obriga aos moradores redobrar os cuidados com medidas como tampar as caixas d’águas e não deixar poças d’água no quintal, geralmente em pneus velhos e tampas de garrafas em áreas de matagal.