assistência social

Governo e instituições parceiras realizam programação do Outubro Rosa no presídio feminino de Cruzeiro do Sul

Com o slogan “Outubro Rosa – um toque pode mudar a sua vida”, o governo do Estado, por meio do Gabinete da Primeira-Dama, da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e instituições parceiras, realizou nesta quinta-feira, 22, uma ação que levou atendimento de saúde às detentas da Unidade de Regime Fechado Feminina Manoel Neri da Silva, em Cruzeiro do Sul. Participaram também da ação o Tribunal de Justiça do Acre, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre (OAB/AC) e a Prefeitura de Cruzeiro do Sul.

Primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli Foto: Neto Lucena/Secom

As 24 detentas do presídio feminino foram atendidas com palestras sobre prevenção e conscientização ao câncer de mama; autoexame; saúde da mulher; e os dez principais direitos da mulher com câncer de mama. As mulheres também receberam atendimento em saúde da mulher, com exame preventivo do câncer de colo uterino (papanicolau), testes rápidos e agendamento de mamografias, além da entrega de kits de higiene pessoal.

A primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli, na abertura do evento, disse às detentas que o projeto nasceu a partir do trabalho realizado em Rio Branco com 350 detentas, e que as de Cruzeiro do Sul também precisavam dos cursos de capacitação, com atelier de costura e outros, com o objetivo de reinseri-las na sociedade.

Kit de higiene pessoal e panfleto de informações que foram distribuídos às detentas Foto: Neto Lucena/Secom

“Agradeço as parcerias com as instituições que abraçaram essa proposta, pois as mulheres, as crianças e os idosos são o motivo que me move e vejo a necessidade de fazermos mais. E estamos juntos para mais ações como essa”, destacou.

Diretora de Políticas Públicas para as Mulheres da SEASDHM, Isnailda Gondim  Foto: Neto Lucena/Secom

A diretora de Políticas Públicas para as Mulheres da SEASDHM, Isnailda Gondim, explicou que o projeto não tem intenção de culpabilizar, mas de ajudar na reinserção social.

“Viemos trazer uma mensagem de esperança. Estamos articulando com a Vara de Execuções Penais, para que cada palestra assistida conte na remissão de pena da detenta e também vamos oferecer capacitações, para que essas mulheres sejam empreendedoras e possam recomeçar”, explicitou Isnailda Gondim.

Vice-presidente da OAB/AC, Marina Belandi  Foto: Neto Lucena/Secom

Representando a OAB/AC, a vice-presidente, Marina Belandi, ressaltou que, apesar de se tratar de um setor prisional, ficou feliz em observar que as instalações dão a essas mulheres um pouco de dignidade, já que a maioria delas são abandonadas pela família e também não veem seus filhos há muito tempo.

“Como instituição, buscamos ter esse olhar humano, e também como mulher, pois a situação que elas passam já é muito difícil e precisamos acolher e mostrar que esses serviços de assistência é direito delas”, evidenciou.

Coordenadora técnica do Iapen, Vanila Pinheiro Foto: Neto Lucena/Secom

“Agradeço a presença de todas as instituições com essa atenção ao sistema prisional. Essa rede de atenção é importante e necessária e espero que se perpetue”, asseverou Vanila Pinheiro, coordenadora técnica do Iapen.

Na ocasião, as detentas presentearam a primeira-dama com um tapete de barbante, produzido por elas.

Primeira-dama Ana Paula Cameli sendo presenteada pelas detentas da Unidade de Regime Fechado Feminina, Manoel Neri da Silva Foto: Neto Lucena/Secom

Um momento de muita emoção

Discursando sobre a autoestima e a capacidade de reconstrução e valores familiares, o chefe do Departamento de Promoção de Políticas para as Mulheres, Nonato Viana, abordou a importância da família e do amor próprio.

Chefe do Departamento de Promoção de Políticas para as Mulheres da SEASDHM, Nonato Viana. Foto: Neto Lucena/Secom

Emocionado, Nonato salientou que a maioria das detentas foram vítimas da manipulação de alguém e que todas têm sonhos e a capacidade de reconstruir suas metas e recomeçar as suas vidas.

Emoção no momento da canção cantada pelas detentas  Foto: Neto Lucena/Secom

“É hora de repensar e dizer a você quando se olha no espelho: “Eu sou uma mulher de sucesso, eu posso, eu devo. Que essa mensagem seja um incentivo para todas vocês”, enfatizou Nonato Viana.

Momento foi marcado pela comoção entre todas as mulheres presentes Foto: Neto Lucena/Secom

O choro, a dor, as lembranças tomaram conta do ambiente quando as mulheres detentas cantaram, para os convidados do evento, a música evangélica “Vai Passar”, do compositor Marcos Lucas.