Governo é indicado a prêmio nacional na área de tecnologia na gestão pública

Os analistas de sistemas Jhonny Willyans e Ricardo Farias desenvolveram o sistema do “Rotas” (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Os analistas de sistemas Jhonny Willyans e Ricardo Farias desenvolveram o sistema do “Rotas” (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Com o tema “Tecnologia da Informação e Comunicação na Gestão Estratégica de Governo”, a 42ª edição do Seminário Nacional de TIC para a Gestão Pública (Secop) ocorre no período de 28 a 30 deste mês, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Na ocasião, a Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (Abep) entregará o “Prêmio e-Gov” aos finalistas deste ano.

A proposta é reconhecer e incentivar o desenvolvimento de projetos e soluções eletrônicas de governo na administração pública. Único representante da Região Norte, o Acre concorre com o programa de rastreamento veicular “Rotas”. O sistema foi criado pela Diretoria de Modernização Administrativa (DMA) e, desde março, está em funcionamento em automóveis oficiais de oito instituições.

O coordenador da Dtic acredita que haverá segurança e economia para os cofres públicos (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Coordenador da Dtic acredita que haverá segurança e economia para os cofres públicos (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Agora, o Estado precisa investir apenas na compra de equipamentos rastreadores, que custam a partir de R$ 300, e os gestores de cada secretaria poderão acessar informações desde o roteiro executado até o destino final dos motoristas. E também é possível delimitar a área de circulação. Caso o perímetro pré-estabelecido seja ultrapassado, o veículo pode até ser desligado automaticamente.

“Para as máquinas pesadas utilizadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Acre [Deracre], por exemplo, o equipamento verifica o horímetro, permitindo que a gestão estabeleça uma relação contratual com horas trabalhadas e evite gastos desnecessários”, explica o coordenador da Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Dtic), Carlos Rebello.

Além de representar segurança e economia para os cofres públicos, a iniciativa ainda colabora para a transparência das ações de governo. O rastreador envia as informações e, assim, é possível estabelecer a velocidade máxima que o veículo deve atingir, verificar se o automóvel está ligado ou parado, mensurar o consumo de combustível e até ouvir o que se passa dentro da cabine.