infraestrutura

Governo busca parceria com Exército para viabilizar viaduto e melhorar trânsito em Rio Branco

O governo do Acre está buscando uma parceria com o Exército para facilitar a construção do viaduto entre as avenidas Ceará e Getúlio Vargas, bem como a duplicação da Avenida Isaura Parente, em Rio Branco, para desafogar o trânsito na região.

Para isso, propõe doar um novo terreno para o 7º Batalhão de Engenharia e Construção (7º BEC) em troca da área onde hoje esse batalhão está instalado, na Estação Experimental, onde também prevê construir uma área de lazer para a população.

Encontro foi realizado em Brasília. Foto: Dilma Tavares

O assunto começou a ser tratado pelo secretário de Infraestrutura do Estado, Cirleudo Alencar; o representante do governo do Acre em Brasília, Ricardo França; juntamente com o deputado federal Alan Rick; e com o vice-chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, general Paulo Roberto Viana Rabelo, em reunião realizada nesta quinta-feira, 5, em Brasília.

Conforme Cirleudo Alencar, a área hoje ocupada pelo 7º BEC “é fundamental para as ações que visam melhorar a mobilidade e resolver o estrangulamento de trânsito na região”. Ele também apresentou estudo preliminar de um parque com estrutura de lazer para a população na área ocupada atualmente pelo batalhão, que receberia, em troca, um terreno estratégico para sua atuação.

“Resolveria o problema dos dois lados”, reforçou o representante Ricardo França, lembrando que o 7º BEC, atualmente ilhado com o crescimento urbano na região, passaria a funcionar em local mais adequado ao seu propósito, e o governo poderia utilizar a área atual para resolver o problema da população.

O deputado Alan Rick lembrou a luta do governo do Acre e da bancada de parlamentares federais do estado “na busca de soluções definitivas para melhorar o fluxo de trânsito”, e explicou que a área do 7º Bec é essencial no processo que busca “melhorar a qualidade de vida da população”.

Resposta

O general Viana se solidarizou com a necessidade do Estado, explicou que “as instalações do Exército têm necessidades específicas e requerem recursos elevados”, mas disse que já existem experiências positivas em outros locais do país e afirmou que serão feitos estudos sobre as propostas do governo do Acre.

Também participaram da reunião, que ocorreu no Quartel-General do Exército, o diretor de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente, general de brigada Jorge Luiz Abreu Almeida Filho, e o assessor especial da Diretoria de Obras Militares, coronel Antônio Carlos Pavão Madureira.