covid-19

Governo alerta para limite de vagas em leitos de UTIs durante crise do coronavírus

Com a ocupação total dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) destinados para pacientes com Covid-19 próxima do limite, o Governo do Estado do Acre apresentou na tarde desta terça-feira, 19, novas medidas que serão adotadas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. O anúncio foi realizado durante entrevista coletiva à imprensa local por meio de videoconferência.

Anúncio de novas medidas foi feito durante entrevista coletiva à imprensa local por meio de videoconferência Fotos: Neto Lucena/Secom

Uma delas diz respeito a aquisição de novos respiradores mecânicos. Nesta quarta-feira, 20, quatro aparelhos que estavam em manutenção no estado vizinho de Rondônia chegam a Rio Branco para fortalecer a rede pública de Saúde. Por meio de parceria com o Ministério Público do Trabalho, outros 38 equipamentos fabricados na Alemanha foram comprados e devem chegar ao Acre até o dia 10 de junho.

Governo do Estado do Acre apresentou na tarde desta terça-feira, 19, novas medidas que serão adotadas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus Fotos: Neto Lucena/Secom

“Sabemos da dificuldade mundial para aquisição de respiradores, mas o governador Gladson Cameli não tem medido esforços para equiparmos os nossos hospitais no atendimento aos pacientes com Covid-19. A chegada desses respiradores nos próximos dias é muito importante para ampliar nossa estrutura e montar mais leitos de UTI”, destacou o secretário de Saúde, Alysson Bestene.

O Acre registrou os primeiros casos de coronavírus há pouco mais de dois meses. Com 2.482 confirmações, 73 óbitos e tendência de aumento para os próximos dias, Bestene afirmou que os leitos de UTI estão próximos de atingir o seu limite máximo de capacidade. “Em Rio Branco, 25 das 27 UTIS estão ocupadas. Em Cruzeiro do Sul, dos 8 leitos de UTI que disponibilizamos, seis estão sendo utilizados. Nos últimos dias, cerca de cinco pessoas estão precisando utilizar UTIs. Se continuar nesse ritmo, não teremos condições de atender todos os pacientes”, enfatizou.

Além da disponibilidade de 30 leitos de UTI e 38 leitos de enfermaria no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), dois andares do Pronto-Socorro de Rio Branco estão na retaguarda para o recebimento de pacientes com a doença. Até o próximo dia 11 de junho, o Hospital de Campanha da capital deve ser entregue com mais 100 leitos de enfermaria. No Juruá, o Hospital de Campanha também está sendo construído e ofertará mais 10 leitos de UTI e 90 leitos de enfermaria.

O secretário explicou ainda que a grande dificuldade encontra pelo Estado refere-se a compra e chegada de equipamentos ao Acre. “Temos espaços disponíveis nas nossas unidades, como é o caso do Into, dos nossos hospitais de campanha e outros parceiros. O nosso principal problema tem sido a aquisição de respiradores, monitores e outros equipamentos para montarmos uma UTI”, salientou.

Estado avalia endurecimento de regras para conter o vírus e fortalecer o isolamento social

Diante da possibilidade de agravamento no número de infectados e colapso na rede pública de Saúde, o secretário da Casa Civil, Ribamar Trindade, não descartou a possibilidade no endurecimento de novas medidas para ampliar o isolamento social.

Secretário da Casa Civil, Ribamar Trindade, não descartou a possibilidade no endurecimento de novas medidas para ampliar o isolamento social Fotos: Neto Lucena/Secom

“Já prorrogamos o decreto governamental até 31 de maio, porém, estamos avaliando dados para verificar a possibilidade de adoção de novas regras para fortalecer o isolamento social. Dada a criticidade do momento, a retomada das atividades será feita com extrema cautela e responsabilidade para que os casos não aumentem ainda mais”, observou Trindade.

Neste momento delicado, o secretário Alysson Bestene pediu a colaboração da população para cumprir com as recomendações estabelecidas pelas autoridades em Saúde e reforçou a necessidade do isolamento social para frear o coronavírus.

“Temos tomado todas as medidas com o intuito de de evitar o aumento da curva de infectados. Em outros países, o cumprimento do isolamento social tem dado certo e os casos estão diminuindo. Este é um momento de reflexão. As pessoas precisam criar a consciência que é preciso cuidar de si mesmo para que ela não venha correr o risco de precisar de precisar de um leito de UTI e não ter”, pontuou.