solidariedade

Governador Gladson Cameli visita abrigo de Santa Rosa do Purus após cidade registrar cheia histórica

Dando continuidade à agenda nas cidades atingidas pela cheia dos rios do Acre, o governador Gladson Cameli esteve no município de difícil acesso de Santa Rosa do Purus na manhã desta quinta-feira, 29. A agenda seguiu ainda para Jordão e Tarauacá.

A secretária Extraordinária dos Povos Indígenas, Francisca Arara, também participou da visita e aproveitou para afinar a logística para a entrega de sacolões nas aldeias da região.

Secretária Extraordinária dos Povos Indígenas, Francisca Arara, conversa com o o governador Gladson Cameli. Foto: Neto Lucena/Secom

Na cidade, o governador foi até as áreas atingidas e ao abrigo montado na Escola Padre Paolino. Ele falou com os abrigados e reforçou apoio à cidade. “Tudo que eu puder fazer para amenizar o sofrimento de vocês eu vou fazer”, disse.

O nível do rio atingiu a marca de 10,77 metros, 1,77 metro acima da cota de transbordamento, que é 9 de metros, mas chegou a 11,12 metros nos últimos dias.

Nível do Rio Purus atingiu a marca de 10,77 metros, 1,77 metro acima da cota de transbordamento, que é 9 de metros. Foto: José Caminha/Secom

O município, que tem 6.723 habitantes, tem enfrentado a pior enchente da história, atingindo 3.607 pessoas na cidade. Até esta quinta, 521 pessoas estão desabrigadas e outras 960 desalojadas. Seis abrigos públicos atendem a população, sendo um destinado a pessoas com problemas de saúde que precisam ficar isoladas.

“Essa visita é pra poder ver todo o trabalho que a equipe governamental, junto com as secretarias e prefeituras, tem feito. É para dar um abraço e reforçar nosso compromisso e dizer que estamos com um olhar voltado para essa cidade isolada de Santa Rosa do Purus e vamos juntos virar essa página”, destacou o governador.

Demandas

O prefeito da cidade, Tamir de Sá, destacou a importância da presença do chefe do Estado na cidade para conhecer a realidade local e ajudar nos recursos.

Prefeito de Santa Rosa do Purus, Tamir de Sá, juntamente com o governador Gladson Cameli.  Foto: José Caminha/Secom

“Tivemos uma cheia grande. Ninguém aqui tinha visto uma dessa. Não é muito fácil, temos um município muito longe, muito carente das coisas, com pouco recurso, mas estamos fazendo de tudo para atender a nossa população da maneira que a gente pode. A gente fica muito feliz com a vinda do governador porque ele está se deslocando para ver a situação do nosso município, da nossa população. É importante ele vir para ver o que ele pode fazer”, disse.

Um documento com as demandas do município foi entregue ao governador.

Um documento com as demandas do município foi entregue ao governador. Foto: Neto Lucena/Secom

Cameli destacou que esses dados são de extrema importância para se ter um cenário real de cada município e suas demandas. “Nossa intenção é estar junto para passarmos por isso. E vamos levar esses relatórios para que nossa equipe possa atender”, disse.

Ações e apoio

O subtenente do Corpo de Bombeiros que coordena as ações na cidade, Antônio Freire Queiroz, fala do apoio do Estado nas ações.

“Contamos com o apoio logístico da Assistência Social. Nós chegamos aqui para dar apoio à Defesa Civil do município, dando a orientação com relação a coordenar as operações de cheia, juntamente com a prefeitura. O rio subiu de forma súbita, de 9 metros no sábado, foi a 11,12 metros, e precisou de uma logística bem maior. O prefeito mobilizou todo mundo. A população se compadeceu com todos, e fizemos a remoção sábado e domingo de todas as pessoas, porque o bairro do centro ficou totalmente inundado com a água do Rio Purus”, disse.

Subtenente Antônio Freire, que coordena as ações na cidade. Foto: José Caminha/Secom

O governo do Estado já mandou à cidade isolada suprimentos como cestas básicas, redes, hipoclorito e outros insumos. Além disso, todas as ações foram coordenadas por uma equipe do governo, que reforçou as ações em diversas frentes.

Desde segunda-feira, 26, o governo federal reconheceu a situação de emergência decretada pelo governador do estado em 17 das 22 cidades acreanas. A medida é o primeiro passo para acessar recursos federais complementares de apoio e assistência às vítimas da cheia.

Ainda na quarta-feira, 29, o presidente em exercício, Geraldo Alckmin, ligou diretamente para o governador e colocou toda a estrutura do governo federal à disposição.