União

Gladson diz a prefeitos que combate ao coronavírus é a prioridade do governo

“Seja na chuva ou no sol, nós vamos vencer essa pandemia”, foi com esta declaração de otimismo que o governador Gladson Cameli se dirigiu a 17 prefeitos acreanos na noite desta quarta-feira, 1º, durante videoconferência para explicar todas as ações que estão sendo desenvolvidas pelo Governo do Estado no enfrentamento à Covid-19 e também para receber as principais demandas dos municípios representados durante a reunião.

A situação vivenciada por Assis Brasil, de acordo com o prefeito Antônio Barbosa, o Zum, é considerada crítica. Com o fechamento das fronteiras do Brasil e Peru, cerca de 263 pessoas de diversas nacionalidades estão abrigadas em uma escola pública sob os cuidados da prefeitura.

“Estamos servindo 800 refeições por dia e já contabilizamos mais de R$ 100 mil em gastos com alimentação. Chegamos ao nosso limite e não temos mais condições de receber mais imigrantes”, explicou o prefeito de Assis Brasil.

Governador Gladson Cameli disse que a prioridade do momento é o combate ao novo coronavírus Foto: Diego Gurgel/Secom

Na oportunidade, o gestor agradeceu o apoio dado pelo governo estadual por meio do envio de 250 colchões e 100 cestas básicas para o abrigo. Zum também citou a presença de policiais do Grupo Especializado contra Crimes de Fronteira (Gefron) na fiscalização fluvial no rio Acre para evitar a travessia de pessoas entre os dois países e solicitou a destinação de mais equipamentos de proteção individual (EPIs) por parte do governo ao município.

Gladson afirmou que a situação de Assis Brasil está sendo tratada com prioridade. O governador revelou que o assunto será levado ao conhecimento do governo federal e ainda anunciou uma visita à cidade para acompanhar de perto a realidade vivenciada com os imigrantes.

“Nesta quinta-feira, vou ter uma reunião com o vice-presidente Mourão para tratar das demandas que apresentei a ele durante a visita ao nosso estado e vou aproveitar para expor a situação de Assis Brasil e pedir ajuda urgente do governo federal. Na sexta, vou fazer uma visita ao município, conversar com o prefeito Zum e nos colocar à disposição para ajudar em tudo que for possível”, pontuou Cameli.

O prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos, parabenizou as medidas adotadas por Gladson para combater o novo coronavírus. Ele falou que a prefeitura montou uma barreira sanitária para controlar e monitorar as pessoas que entram e saem do município. O gestor ressaltou que o momento pede a união de todos e sugeriu que os prefeitos possam tomar decisões em conjunto para salvar vidas.

Por meio de videoconferência, Gladson ouviu principais anseios da maioria dos prefeitos acreanos Foto: Diego Gurgel/Secom

Já o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, elogiou a postura do governador durante a recente ida ao Vale do Juruá para anunciar medidas de combate à pandemia na região. O gestor revelou que suspendeu a cobrança de tributos municipais como forma de ajudar o empresariado local a enfrentar a crise. Cordeiro questionou sobre a iniciativa do governo referente à distribuição de cestas básicas para famílias de baixa e trabalhadores autônomos.

O prefeito de Sena Madureira pediu ao governdor Gladson Cameli o envio de três ventiladores mecânicos para o Hospital João Câncio Fernandes. Mazinho Serafim perguntou sobre a situação do repasse do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e solicitou celeridade na liberação das emendas provenientes dos deputados estaduais para ajudar os municípios no combate à Covid-19.

A prefeita de Brasileia, Fernanda Assem, reportou as ações que estão sendo desempenhadas pela prefeitura municipal e reivindicou a instalação de mais leitos e respiradores pulmonares no Hospital Regional do Alto Acre. Assim como a contratação imediata de médicos e outros profissionais da área da saúde para a unidade hospitalar. Os mesmos anseios também foram compartilhados pelo prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores.

Os prefeitos do municípios de difícil acesso também tiveram a oportunidade de expressar seus anseios. Isaac Pianko, de Marechal Thaumaturgo, quis saber do plano estratégico adotado no Estado para enfrentar o coronavírus e Assis Moura, de Santa Rosa do Purus, pediu o envio de materiais, como máscaras e luvas, para a proteção dos servidores da Saúde municipal.

Prefeito de Feijó, Kiefer Cavalcante, secretário de Saúde, Alysson Bestene, governador Gladson Cameli e prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, em videoconferência para debater pandemia da Covid-19 Foto: Diego Gurgel/Secom

Bené Damasceno, prefeito de Porto Acre, demonstrou sua preocupação com moradores do município que insistem em não obedecer as recomendações de isolamento social. A cidade tem um caso confirmado de coronavírus. Com o apoio do Exército, o gestor pretende montar duas barreiras sanitárias na rodovia estadual AC-10 e na Vila do Incra.

O mesmo dilema é enfrentado pelo prefeito Ederaldo Caetano. Com oito casos confirmados, Acrelândia é o município do interior do estado com o maior número de pessoas infectadas. O gestor pediu apoio urgente do governo estadual para combater e evitar que a doença avance ainda mais na cidade.

Tanizo Sá, de Manoel Urbano, apresentou as medidas de isolamento adotadas no município e solicitou o envio de um respirador mecânico para o hospital da cidade. Isaac Lima, de Mâncio Lima, cobrou do governo materiais para a realização de exames rápidos no próprio município.

O prefeito do Bujari, Romualdo Araújo, demandou ao governador Gladson Cameli a presença de mais policiais no município para que os decretos estadual e municipal sejam cumpridos no município, sobretudo em relação ao fechamento de parte do comércio como medida de conter o avanço do vírus.

Kiefer Cavalcante explicou que a população indígena em Feijó está bastante vulnerável devido à falta de ações por parte do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) responsável por aquela região. O prefeito citou ainda que um rigoroso controle também está sendo executado com moradores e outras pessoas que adentram o município.

O prefeito Antônio Cordeiro, o Joãozinho, alertou que a população de Capixaba ainda não se conscientizou sobre a gravidade do novo coronavírus. Apesar da pandemia, o gestor mostrou-se confiante e afirmou que a situação será resolvida.

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, que também preside a Associação dos Municípios do Acre (Amac), agradeceu a receptividade por parte do governador Gladson Cameli em querer ouvir os prefeitos e defendeu a união de todos neste momento de crise em prol da população.

“Temos que esquecer quaisquer diferença e temos que focar neste grande desafio que nós temos neste momento. Vamos fazer o apanhado das sugestões e solicitações feitas por cada um dos prefeitos e vamos formalizar ao secretário de Saúde e ao governador”, frisou.

Ao fim da reunião, o governador Gladson Cameli agradeceu o empenho da bancada federal e afirmou aos prefeitos que mais de R$ 73 milhões em recursos foram destinados pelos deputados e senadores para ajudar o Acre na luta contra à Covid-19.

“Saibam que o governo está fazendo tudo que pode para o bem da nossa população. Queremos salvar vidas e tenho certeza que vamos alcançar nosso objetivo. Estou à disposição de todos os prefeitos para dialogar e ajudar naquilo que for possível. Saibam que a nossa prioridade número um é o enfrentamento a essa pandemia do coronavírus”, finalizou o governador Cameli.

Últimas notícias

Saúde 03/06/2020 - 12h16min

Nota Pública

enfrentamento da pandemia 03/06/2020 - 10h27min

Governo do Estado decreta ponto facultativo no dia 5 de junho

Medidas contra Covid-19 em Assis Brasil 02/06/2020 - 11h03min

Nota Pública