tecnologia

Estudantes expõem projetos de desenvolvimento sustentável na Mostra Viver Ciência 2019

A escola Heloísa Mourão Marques apresenta vários projetos empregando um sistema de sensores e o uso de tecnologia de automação. Os trabalhos, produzidos pelos estudantes, foram apresentados durante o primeiro dia da Semana Estadual de Ciência e Tecnologia (SECT), com realização do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE) e da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e diversos parceiros, realizada nos dias 30 e 31 de outubro, em Rio Branco, no Parque de Exposições.

Visando as práticas de sustentabilidade ambiental e o uso consciente de energia elétrica, a escola expôs trabalhos baseados no tema da feira, que este ano trata de bioeconomia: desenvolvimento e riqueza para Amazônia. Dessa forma, os alunos apresentam protótipos que utilizam um material chamado placas de arduino, por meio do sistema de sensores elétricos.

Projetos são desenvolvidos pelos alunos com orientações dos professores. Foto: Mardilson Gomes/ SEE

Um dos projetos principais que fazem o uso desse material exposto pela escola é o de automação residencial. Sendo assim, o trabalho dos estudantes consiste em um protótipo de uma residência na qual o usuário tem acesso automático a toda parte elétrica da maquete por meio do smartphone.

“Esses projetos desenvolvidos pelos nossos alunos contam com o uso de vários sistemas de automação, que é um material que vem sendo muito utilizado no mercado pelo baixo custo e por proporcionar praticidade aos usuários. Com isso, esses trabalhos proporcionam nos alunos, além de conhecimento, o interesse pelo mercado”, explica Antônio Fernandes, gestor da escola.

A exposição da escola conta ainda com trabalhos como o sistema de irrigação automatizado, o qual é voltado para a irrigação de plantas e hortas, além de um sensor de nível de caixa d’ água, que marca o nível da água utilizando sensores automáticos, evitando o desperdício. Fernandes, ressalta ainda a importância de tornar o aluno protagonista nessas atividades e, também, que é um incentivo para seguir uma carreira profissional.

Os trabalhos são desenvolvidos com base em recursos de sistemas de automação com sensores. Foto: Mardlson Gomes/ SEE

As atividades são desenvolvidas pelos estudantes do 3° ano, com orientação dos professores. Para o estudante João Vitor, esses projetos proporcionam, não só uma maior economia de energia, como também uma maior praticidade com o uso dos recursos de automação e sistema de sensores. Dessa forma, também estão expostos a lixeira automática e o sensor de luminosidade, os quais também fazem uso desses recursos de automação.

“Essa tecnologia ajuda bastante na questão de locomoção para cadeirantes ou pessoa com deficiência visual, por exemplo. Para mim, desenvolver esses projetos e saber que eles podem ser utilizados nesse sentido é muito gratificante”, ressaltou João Vitor, estudante do 3° ano.