arte

Espetáculos teatrais voltam aos palcos nesta sexta em Rio Branco

Na sexta-feira, 13, os espetáculos teatrais voltam às exibições presenciais em Rio Branco. Haverá apresentações em todos os fins de semana de agosto, sempre às 19h30min.

“Nós: um ensaio antes que tudo acabe” reestreia no teatro da Usina de Arte João Donato. Escrita, produzida e dirigida pelo dramaturgo Yuri Montezuma, a peça une acontecimentos do mundo real com a fantasia do texto, e conta a história de dois atores que querem montar um espetáculo mas têm um bloqueio criativo: “As personagens procuram construir algo e se construir no caminho para montar um espetáculo”, conta Yuri.

“A peça acompanha a linha histórica do que está acontecendo no mundo real. A gente ia se apresentar em 2020, mas por causa da pandemia tivemos que adiar. De um ano pra cá muita coisa mudou. Praticamente todo o nosso roteiro foi mudado. O incêndio na Cinemateca Brasileira, por exemplo, vai estar no texto”, revela.

A peça é escrita, dirigida e produzida por Yuri Montezuma. Foto: Cedida.

A produção foi financiada pelo Fundo Estadual de Cultura, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM). É um projeto das companhias Tanto de Lá Quanto de Cá e Catavento.

Participando do espetáculo está a atriz Jaqueline Chagas, que também é autora da peça “Afluentes acreanas”. As apresentações de Afluentes voltam para sua terceira temporada a partir do dia 18 de setembro no Memorial dos Autonomistas, no centro de Rio Branco.

O espetáculo descreve navegar pela história do Acre, desde as origens do território até os dias de hoje. Traz histórias antigas dos tempos da seringa, da Revolução Acreana, de nomes significativos para a construção do estado, mas também de nomes que não são tão conhecidos. “De pessoas que passaram pelo território e deixaram suas histórias aqui. Histórias do povo, histórias orais”, relata Jaqueline.

Jaqueline Chagas atua e faz o figurino da peça. Foto: Cedida

A atriz, que recentemente estrelou mais uma temporada do espetáculo “Depois de Dora” junto ao grupo Teatro Candeeiro, conta como essa temporada corrida é fruto de um período pandêmico.

“É a vida de artista. Precisamos nos adaptar às situações com as mudanças de bandeira, alguns trabalhos tiveram de ser estacionados. Essa semana estou de folga e semana que vem já engato em ‘Nós’, para garantir uma estreia maravilhosa”, narra. “É um espetáculo muito divertido e ao mesmo tempo é muito reflexivo, faz a gente se questionar sobre algumas coisas. É um trabalho que dá prazer de fazer. Adoro trabalhar com a equipe”, relata.

Ainda em agosto também haverá a peça “Uma lição longe demais”, do dramaturgo carioca Zeno Wilde. Com o Teatro Candeeiro, as apresentações serão às quintas-feiras na Usina de Arte João Donato.