nutrição

Em parceria com universidades, Estado promove qualificação em promoção da alimentação complementar saudável

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), em parceria com a Universidade Federal do Acre (Ufac) e Universidade de São Paulo (USP), vem promovendo, desde o dia 9 de julho, uma oficina com o tema Promoção à Alimentação Complementar Saudável para profissionais da Atenção Básica.

A iniciativa se deu por meio de um projeto-piloto para a construção de um programa de capacitação mais abrangente, que atenda as demandas dos profissionais do estado. A oficina tem formato virtual assíncrono, e inicialmente estava prevista apenas para Cruzeiro do Sul, mas, com o apoio do Núcleo de Alimentação e Nutrição (NAN), o público-alvo foi ampliado para todos os municípios do estado.

“O aleitamento materno é extremamente importante até os dois anos de idade, mas a partir do 6º mês de vida precisa estar associado à introdução de alimentos adequados para essa fase da vida. A introdução de alimentos de baixo valor nutricional, como os ultraprocessados, por exemplo, pode desencadear agravos nutricionais na criança ainda em formação”, ressalta a chefe do NAN/Daps da Sesacre, Deltirene Cardoso.

Iniciativa se deu por meio de um projeto-piloto para construção de um programa de capacitação mais abrangente, que atenda as demandas dos profissionais do estado. Card: Divulgação.

Deltirene Cardoso explica ainda que hábitos alimentares adquiridos nessa fase podem ficar para sempre e, inclusive, definir o estado de saúde na vida adulta.

Além dos técnicos da Atenção Básica, participam também profissionais dos Distritos de Saúde Indígena (Disei), do Alto Rio Juruá, Baixo Rio Purus, Casa de Saúde indígena (Casai), e da gestão do Daps/Sesacre.

A oficina terá 24 horas, e deverá ser concluída em 30 dias.

A oficina se dirige para profissionais de todos os municípios do estado. Foto: Cedida

“A alimentação complementar é aquela que é oferecida à criança a partir do sexto mês de vida, em adição ao leite materno. É nesse momento que os hábitos alimentares se formam, por isso a necessidade de conduzir corretamente da melhor forma possível essa introdução. A oficina dialoga com outros programas estratégicos do Ministério da Saúde, já implantados em nosso estado e também com outras atividades realizadas pelo NAN”, explica.