Do pequeno negócio em casa, costureira conquistou independência

Alcione agora tem renda fixa com pequeno negócio (Foto: Diego Gurgel/Secom)

No bairro Adalberto Aragão, a família de Alcione Dias de Matos é uma das 23 mil beneficiárias do governo do Estado pelo programa de incentivo ao empreendedorismo, executado pela Secretaria de Pequenos Negócios (SEPN) no Acre.

Antes manicure, a mãe de duas filhas, ao lado do marido também autônomo, sonhava em ter um ateliê de costura. Sem noção nenhuma da profissão – segundo o que conta -, foi por meio de cursos ofertados pela própria SEPN que atualmente ela domina a arte de confeccionar peças infantis.

O que poderia ter sido o empecilho, para Alcione foi apenas uma questão de persistência. “Eu não sabia colocar uma agulha na máquina, quebrava todas. Mas não desisti, porque a gente é que tem de correr atrás dos nossos sonhos, não eles que correm atrás da gente”, frisa.

Governo beneficia costureiras desde 2011 com equipamentos (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Essa força de vontade tem inspirado outras costureiras. Ao lado de uma amiga, a empreendedora vai abrir o Ateliê A.G. Confecções Infantis, para ampliar a clientela, que já adquire as peças até no interior do estado. “Tenho clientes que nem moram aqui em Rio Branco, ficam só esperando eu mandar as peças”, acrescenta.

Com uma média de R$ 4 no valor cobrado em cada calcinha ou cueca, é possível ter um lucro mensal de R$ 1.200. Por isso, Alcione foi uma das beneficiárias certificadas recentemente pelo governo com o título de empreendedora de sucesso.

Desde a implantação da SEPN em 2011, como estratégia de alcançar famílias de baixa renda de todo o estado, já se somam mais de R$ 33 milhões injetados no programa, que alcança até os municípios mais distantes. Até 2018, o governo pretende atingir a marca de 30 mil famílias beneficiadas com novos investimentos.