Audiência pública

Com secretário especial do Ministério da Agricultura, Acre debate regularização fundiária e agronegócio

Pequenos, médios e grandes produtores rurais, lideranças indígenas e comunitárias, além de diversos parlamentares e instituições públicas estiveram reunidos na tarde desta sexta-feira, 6, no auditório do Sebrae, para uma audiência pública que discutiu temas ambientais, indígenas, fundiários e agrários na Amazônia Legal.

Produtores rurais estiveram reunidos nesta sexta-feira, 6 Fotos: Diego Gurgel/Secom

O evento foi realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Rio Branco e contou com total apoio do governo do Estado. O secretário especial de Assuntos Fundiários do Mapa, Luiz Antônio Nabhan Garcia foi quem conduziu a audiência, destacando que na próxima terça-feira será assinada a Medida Provisória da Regularização Fundiária que vai facilitar o título da terra para os mais de 1 milhão de produtores rurais no Brasil que não possuem esse documento.

O principal objetivo desta iniciativa do governo federal é conhecer as necessidades vivenciadas na zona rural e encontrar alternativas que propiciem o desenvolvimento regional.

“Já existe uma parceria muito forte com o governo do Acre, que também é um governo novo, e o governo federal. Nós precisamos produzir. O brasil só na agricultura tem pouco mais de 7% do seu território. Tem uma coisa que precisa ficar bem clara a todos: a Amazônia brasileira é do Brasil, é do cidadão, é nossa. O Acre faz parte da Amazônia Legal, existem interesses econômicos e o governo brasileiro vai fazer prevalecer a soberania. Nós estamos aqui receptivos aos investidores e aos investimentos, respeitando a legislação”, conta o Luiz Garcia.

Grande entusiasta do agronegócio como novo modelo de prosperidade econômica e social para o Acre, o governador Gladson Cameli vê a audiência pública como uma excelente oportunidade de debater o desenvolvimento da produção agrícola e a regularização fundiária, incluindo a preservação do meio ambiente.

Para o secretário estadual de Produção e Agronegócio, Edivan Maciel: “O governo do Estado está disposto a ouvir a todos, não importa o tamanho. O que queremos é inserir todos no agronegócio e fazer esse estado independente economicamente. E isso só será possível através da produção rural”.

Secretário estadual de Produção e Agronegócio, Edivan Maciel Fotos: Cedidas

Entre as centenas de presentes no evento, se encontra o produtor rural Josias Silva, morador da divisa do Acre com o Amazonas. Representante de várias comunidades agrícolas da região e enfrentando uma reintegração de posse, ele conta que esse é o momento de se fazer ouvir e acredita que o governo terá um novo tratamento com os produtores.

“Com muita fé, aqui vai sair alguma coisa. A gente tem um norte e só queremos opções para sermos direcionados. Entre morrer de fome e lutar para sobreviver, vamos lutar para sobreviver”, conta.

A audiência pública contou ainda com a presença dos deputados federais Mara Rocha e Alan Rick, deputados estaduais, representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Fundação Nacional do Índio, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (Faeac), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgãos de justiça e controle, além de lideranças indígenas.