olimpíada estudantil

Com apoio do governo, Acre sedia fase nacional do vôlei de praia do Gymnasiade

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (SEE), em parceria com a Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), da Federação Acreana de Desporto Escolar (Fade) e da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), realiza a fase nacional do vôlei de praia do Gymnasiade, competição é que uma espécie de olimpíada estudantil.

Participam das seletivas os 26 Estados da federação, mais o Distrito Federal. Ao todo, são mais de 300 pessoas envolvidas diretamente no evento, entre atletas, dirigentes e comissão técnica. A competição iniciou nesta sexta-feira, 15, e se estenderá até o próximo domingo, dia 17.

Participam das seletivas equipes dos 26 Estados, mais o Distrito Federal. Foto: José Caminha/Secom

As duplas vencedoras da série ouro, tanto na categoria masculina quanto na categoria feminina irão representar o Brasil no vôlei de praia, na Gymnasiade internacional que acontecerá em maio na Normandia, França. No ano passado, a dupla masculina do Acre ficou em primeiro lugar na série bronze nos Jogos Escolares Brasileiros (JEBs) realizados na cidade do Rio de Janeiro.

De acordo com o chefe do Departamento de Esportes da SEE, Júnior Santiago, as seletivas acontecem simultaneamente em 120 países que disputam a competição escolar. “Trata-se de uma seletiva nacional que vai valer vaga para o mundial que acontecerá na França”, explica.

Ele comemora o fato da competição, em nível nacional, estar sendo disputada pela primeira vez no estado do Acre. “Isso é importantíssimo, pois representa um trabalho, um esforço do governador Gladson Cameli para que essa competição fosse possível hoje em nosso Estado”, enfatiza Santiago.

Acre participa das seletivas com duas duplas masculinas e duas duplas femininas. Foto: José Caminha/Secom

Por ser a sede da etapa nacional, o Acre tem direito a participar da seletiva com duas duplas, mas ele destaca a dificuldade dos jogos na medida em que a maioria dos atletas, mesmo com idade entre 17 e 18 anos, já participa do circuito nacional por seus respectivos clubes.

“Tivemos êxito no Rio de Janeiro, inclusive com uma dupla premiada e isso fez com que o Acre despontasse no cenário nacional, mas a maioria que está aqui joga em clubes e integram equipes brasileiras e eu não posso te garantir que nessa olimpíada, na França, a gente terá algum representante, mas na próxima com certeza”, afirmou.

Para o presidente da Fade, José Reinaldo Azevedo, o fato do Acre sediar uma etapa nacional da Gymnasiade trata-se de um sonho. “Isso é a realização de um sonho, está sendo uma alegria muito grande e esperamos que esse evento seja o primeiro de série que possamos fazer futuramente”, destacou.