no juruá

Com abertura de 600 km de ramais em Cruzeiro do Sul, Estado tira mais de duas mil famílias do isolamento

Às vésperas de completar 117 anos de emancipação política, Cruzeiro do Sul tem um motivo a mais para festejar. Um contingente superior a duas mil famílias, que vivem em regiões isoladas do município, teve seu direito de ir e vir garantido pelo governo do Acre.

Equipamentos da nova frota entregue pelo governador Gladson Cameli trouxeram mais celeridade aos serviços de recuperação de ramais. Foto: cedida.

Nos últimos meses, o notável o empenho das equipes do Departamento de Estradas de Rodagem (Deracre), aliado ao forte verão amazônico, possibilitou a abertura e melhoria de 600 km de estradas vicinais da região. A conquista é um marco para a gestão de Gladson Cameli, que no dia 17 de julho entregou à região uma frota de 12 novos veículos pesados. Um investimento de mais de R$ 5 milhões, que possibilitou ao governo apoiar a população do campo no escoamento de sua produção, rompendo décadas de isolamento.

Ramal dos Carobas antes de receber os serviços de manutenção do governo do Estado. Foto: cedida

“O governador é muito sensível às causas dos moradores rurais. Por isso, vem dando efetivas respostas à carência de anos sem a presença do poder público nesses locais. Com o envio da nova patrulha, foi possível dar mais celeridade aos trabalhos”, pontuou Luciano Oliveira, diretor do Deracre no Juruá.

Utilizando-se de caminhões basculantes, motoniveladoras, pás carregadeiras e retroescavadeiras, as equipes realizaram serviços de recuperação, de melhoria e reabertura dos ramais, além de raspagem, desvio de águas superficiais, limpeza de bueiros, estabilização do solo, construção e reconstrução de pontes de madeira. Ao todo, já foram construídas seis das 13 pontes previstas.

As equipes realizam serviços de raspagem, desvio de águas superficiais, limpeza de bueiros, estabilização do solo e construção e reconstrução de pontes de madeira. Foto: cedida

De acordo com Oliveira, a ação ajuda movimentar a economia local e gera renda ao homem do campo. “É possível observar a motivação do produtor rural, pois ele sabe que terá meios para comercializar seus produtos. É dessa forma que o governo traz mais dignidade para essas pessoas”, observou.