Assistente social: na linha de frente há mais de 500 anos

O profissional assistente social atua na linha de frente das mais diversas mazelas sociais que ocorrem no mundo todo, sempre precisando se reinventar e superar inúmeros desafios provenientes das transformações diárias.

Hoje, o enfrento mais latente está diretamente ligado ao novo coronavírus e todas as suas consequências, que atingem as mais diversas áreas e camadas sociais. Estes guerreiros estão diariamente expostos ao novo vírus com o intuito de garantir direitos a todos que deles necessitam, principalmente aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social, independente de cor, raça, credo, classe social ou qualquer outro segmento da sociedade que nos difere.

Nesse sentido, deixo uma pergunta: Quem vai cuidar dos nossos direitos? Temos um Projeto ético-político que nos encoraja todos os dias a lutar por eles.

Dia 15 de maio é a data alusiva ao Dia do Assistente Social, e esta não ocorre somente para a “falsa valorização” de uma categoria, mas sim, para dar visibilidade a esses combatentes da linha de frente em diversas questões sociais, que além de serem expostos à Covid-19 frente à sua atuação profissional, também são expostos à invisibilidade, e ainda assim não fogem à luta.

Me utilizo desta data não só para parabenizar a todos nós, profissionais corajosos, que dão seu suor e sangue nas mais variadas áreas de enfrentamento, mas também para fazer um pedido em prol de toda uma categoria.

Com a crise mundial que vivemos hoje, saímos de casa todos os dias para trabalhar com nosso público-alvo (pessoas) e nosso instrumento de trabalho é a nossa própria vida. Expomos nossa família todas as vezes em que retornamos para os nossos lares. Nossa força de trabalho é essencial e estamos em busca de condições de trabalho para continuar nessa luta árdua, dentre elas, a vacinação.

Reconhecemos todos os esforços do governo do Estado do Acre no combate ao coronavírus e ansiamos ser contemplados pela vacinação prioritária, assim como os demais servidores da linha de frente.

Cláudia Costa é assistente social, especialista em Saúde Mental, Gestão do Sistema Prisional e Instrumentalidade do Serviço Social