espaço histórico

Após superação burocrática, governo do Acre assinará ordem para reforma da Tentamen

Nos próximos dias, o governo do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), irá assinar a ordem de serviço para a restauração da Sociedade Recreativa Tentamen, após uma longa maratona dos gestores da FEM em busca de viabilizar, garantir e cumprir com todos os trâmites burocráticos para a aprovação e liberação do recurso.

Em 2019, após assumir a presidência da FEM, Manoel Pedro (Correinha), seguindo uma orientação do governador Gladson Cameli, iniciou um plano para a recuperação dos espaços culturais e históricos do Acre, em especial a Tentamen, que estava abandonada e se deteriorando pelo tempo devido as gestões passadas.

Governador Gladson Cameli e o presidente da FEM, Manoel Pedro, falando sobre as políticas de fortalecimento da cultura do Acre. Foto: Diego Gurgel/Secom

Naquele ano, iniciou-se uma verdadeira maratona para restaurar o espaço, que por se tratar de um patrimônio histórico cultural tombado, qualquer intervenção deve obedecer critérios técnicos, respeitando a originalidade do patrimônio, com tal ação prevista em lei.

Para se ter uma ideia, até mesmo as tábuas que serão utilizadas para a pavimentação do piso do prédio têm de ser do mesmo modelo, respeitando sua originalidade.

Foram mais de três anos de muitas idas e vindas, em busca de devolver o espaço da Tentamen à sociedade acreana. Agora, estamos a alguns passos para que esse objetivo seja exitoso.

Nos próximos dias deve ser assinada a ordem de serviço para a restauração da Tentamen, e em breve a sociedade terá o pomposo prédio à disposição, mantendo viva a história de milhares de acreanos que um dia já prestigiaram alguma atividade cultural no espaço.

A restauração será incentivada por um recurso que a Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) conseguiu acessar junto ao Ministério da Defesa, que ultrapassa o valor de R$ 300 mil.

Para o presidente, a recuperação da Tentamen é uma das missões que ele, desde o início, tomou para gestão e em nenhum momento deixou ser vencido pelos inúmeros desafios junto a esse processo.

“Estamos muito felizes por estar próximo de vermos um dos passos mais importantes para que a Tentamen seja devolvida a sociedade e possa enriquecer nossa cultura e nossos patrimônios históricos. A batalha na corrida contra o tempo foi de quase quatro anos, mas a gente venceu, o Acre venceu. Agora é assinar a ordem e serviço, fiscalizar a execução da obra pela empresa responsável pela restauração e logo, logo reinauguramos a Tentamen”, destaca ele.

Manoel Pedro, presidente da Fundação Elias Mansour. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Confesso que todos os dias que chego na sede da FEM e olho para Tentamen, e vejo a que ponto a irresponsabilidade e falta de compromisso com o bem público levou a Tentamen, me entristecia muito, era uma dor, mas agora, a dor se torna risos e alegria de saber que nossa pomposa Tentamen está se preparando para retornar aos palcos”, revela emocionado o presidente.

Manoel Pedro ainda destacou o pedido pessoal do governador Gladson Cameli em relação à restauração da Tentamen.

“O nosso governador tem um olhar sensível para a cultura, ele mesmo pediu para que a gente não medisse esforços para recuperar a Tentamen. E ele pôs todas as pastas que tem responsabilidade em algum momento do processo administrativo, quer que seja uma licença ou até mesmo a elaboração do projeto, disponível para esta obra” destacou Manoel.

Sobre a Tentamen

Fundada em 10 de abril de 1924, a Sociedade Recreativa Tentamen, que se situa no Segundo Distrito da capital Rio Branco, foi palco de grandes eventos da sociedade acreana. O nome se deve às diversas tentativas frustradas de fundar um clube, por parte de famílias tradicionais rio-branquenses.

Baile oferecido pelos comerciantes de Rio Branco ao Dr. Epaminondas Martins, Governador do Acre. Foto: DPHC/FEM

A arquitetura da casa segue os padrões de casarão europeu, com adornos, construção sob pilares, com telhado em duas águas e varandas, estilo trazido pelos imigrantes da época. Os salões da Tentamen receberam eventos como bailes carnavalescos, jantares, festas juninas e formaturas. O primeiro baile de carnaval ocorreu em 1925.

O fim da era de ouro da Sociedade Recreativa Tentamen, é datado à década de 1960, com o aumento do número de eventos no primeiro distrito de Rio Branco e a criação de novos clubes na cidade. A Tentamen fechou suas portas pela primeira vez no início dos anos 1970.

No acervo da Divisão de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHC) da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) consta um pequeno trecho de entrevista com o senhor Antônio Cabeludo, na década de 1970, que há 32 anos cuidava de uma pensão localizada no porão do prédio e vivia do dinheiro dos jogos de carteado que aconteciam por lá. “A última vez que a Tentamen funcionou foi no início desta década, no carnaval. ”, contou seu Antônio.

Imagem mostra momento de convivência por populares na Tentamen. Foto: Acervo DPHC/FEM.

Na década de 1980, por conta de uma grande mobilização da população, o prédio passou por sua primeira recuperação. Foi então entregue à Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Cultura e do Desporto (que viria, futuramente, a ser a FEM). No decreto nº 713, de 8 de maio de 1988, foi tombada como Patrimônio Histórico Municipal pelo então prefeito Adalberto Aragão.

A reforma trouxe a vida de volta à Tentamen, que passou a abrigar também festas juninas. Em 2020, foi tombada provisoriamente em âmbito estadual pelo governador Gladson Cameli. A restauração do prédio da Sociedade Recreativa se encontra, atualmente, em processo interno.