nova vida

Com transplantes de fígado, Acre salva mais duas vidas em menos de 48 horas

Um claro exemplo dos avanços da saúde acreana ao longo dos últimos anos está na política de transplantes.

O Acre é o único estado da Região Norte a realizar transplante de fígado e o quinto do país nesse tipo de procedimento. Outro exemplo do quanto esse setor se destaca em relação aos outros estados do país é que na Região Centro-Oeste apenas Brasília realiza transplantes de fígado.

E os últimos dias têm sido agitados para a Central de Transplantes do Acre. Em menos de 48 horas o Hospital das Clínicas realizou dois transplantes de fígado. Os procedimentos foram coordenados pelo cirurgião hepático Tércio Genzini, considerado uma das maiores referências em transplantes de fígado no Brasil e responsável pelas equipes de transplantes do Acre e do grupo Hepato de São Paulo.

O procedimento desta sexta-feira, 11, é o 37º transplante de fígado do Hospital de Clínicas (HC) de Rio Branco.

Equipe da FAB transportou o fígado de Goiânia até o Acre (Foto: Cedida)

O órgão foi doado pela família de um jovem de 24 anos vítima de traumatismo craniano que residia em Goiânia (GO). A Força Área Brasileira (FAB) transportou o fígado, que chegou na manhã desta sexta à capital acreana.

Francisco Chagas Ramos filho, 51 anos, receptor do órgão, sofre de hepatite e entrou na fila de espera por um transplante no mês passado. O procedimento foi possível pela compatibilidade com o doador.

Há 11 anos, a Central de Transplantes do Acre já viabilizou mais de 300 procedimentos no HC, sendo 89 de rim, 200 de córneas e 37 de fígado. Outros 300 transplantes foram realizados por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD).