Acordo com Hospital Sírio-Libanês aumenta transplantes no Acre

Projeto de cooperação com a Fundhacre foi apresentado neste sábado ao governador Binho Marques pelo médico Silvano Raia

saude.jpg

Proposta é ampliar a presença do Acre na rede de qualificação em captação e transplantes em três ações (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governador Binho Marques confirmou neste sábado, 22, acordo de parceria com o Hospital Sírio Líbanês, de São Paulo, para ampliação do sistema de captação e transplantes de órgãos no Acre. O projeto foi apresentado pelo  médico Silvano Raia, ex-diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e primeiro médico a realizar transplantes de fígado no mundo entre pessoas vivas, e pela médica Irene Noronha, coordenadora do departamento de transplante renal da Sociedade Brasileira de Nefrologia.

A proposta é ampliar a presença do Acre na rede de qualificação em captação e transplantes em três ações: estágio de doze meses, estágio em captação e distribuição, e aquisição de equipamentos visando o projeto de telemedicina, pelo qual se facilitam os diagnósticos que antecedem à captação. Equipes especializadas do Sírio Libanês irão apoiar profissionais  em  transplantes da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre). "Encontramos aqui um grupo bem constituído, que está possibilitando o Acre fazer parte desse projeto", disse Silvano Raia, que na sexta-feira ministrou palestra no auditório da Universidade Federal do Acre.

O Hospital Sírio-Libanês é uma unidade de excelência  em nefrologia, com tratamento das várias doenças do rim. A partir desta parceria, informou o secretário de Saúde, Osvaldo Leal, a Fundhacre poderá fazer dois novos tipos de transplantes – de rim e córnea. O acordo envolve apoio filantrópico.